Publicidade

Estado de Minas

Sérvia oferece posto de assessor ao francês Dominique Strauss-Kahn

O vice-primeiro-ministro sérvio, Aleksandar Vucic, disse que havia conversado com o ex-diretor do FMI e adiantou que ele não será ministro


postado em 01/08/2013 08:55

Strauss-Kahn, de 64 anos, foi obrigado a renunciar ao cargo no FMI depois de ser acusado de ter agredido sexualmente uma camareira(foto: Don Emmert/AFP)
Strauss-Kahn, de 64 anos, foi obrigado a renunciar ao cargo no FMI depois de ser acusado de ter agredido sexualmente uma camareira (foto: Don Emmert/AFP)
Belgrado - O vice-primeiro-ministro sérvio, Aleksandar Vucic, indicou na quarta-feira (31/7) que havia conversado com o ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), o francês Dominique Strauss-Kahn, sobre a possibilidade de que seja contratado como assessor do governo sérvio. "Falamos muito brevemente sobre uma possibilidade de cooperação", disse Vucic à rede de televisão B92.

Strauss-Kahn "não será ministro, é certo, mas pode ser um assessor" que ajudaria o governo a "administrar a dívida pública" e a resolver outros problemas econômicos, disse Vucic sem dar mais detalhes.

Leia mais notícias em Mundo

Uma fonte governamental havia afirmado na terça-feira (30/7) à AFP que, como parte dos preparativos para uma remodelação do governo, as autoridades sérvias contactaram Strauss-Kahn, mas uma fonte próxima ao economista negou categoricamente esta informação. "Estabelecemos um primeiro contato", mas pediu "muito dinheiro" por seus serviços, disse a fonte.

Strauss-Kahn, de 64 anos, foi obrigado a renunciar ao cargo no FMI depois de ser acusado, em maio de 2011, de ter agredido sexualmente uma camareira guineana em seu quarto do hotel Sofitel em Nova York.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade