Mundo

Mulheres se unem e desafiam proibição de dirigir na Arábia Saudita

Protesto faz parte de campanha reivindicativa no único país do mundo onde são proibidas de dirigir um veículo

Agência France-Presse
postado em 26/10/2013 12:12
Riade - Várias mulheres sauditas tomaram o volante este sábado, como parte de uma campanha reivindicativa no único país do mundo onde são proibidas de dirigir um veículo. Inicialmente, as militantes quiseram tornar o 26 de outubro uma data simbólica, mas renunciaram a isto após sofrer fortes pressões do governo. "Uma mulher que tomou o volante em Riad e outra em Jidá (oeste) publicaram vídeos" na conta do Twitter da campanha, @oct26driving, declarou à AFP a ativista e blogueira Eman Al Nafjan.



As organizadoras da campanha pediram na sexta-feira às mulheres que se abstenham de desafiar as autoridades este sábado, após receber ligações do ministério do Interior, pedindo que não tomassem o volante. O porta-voz do ministério lembrou na quinta-feira que as mulheres estão proibidas de dirigir no reino, e advertiu que se aplicaria a lei "a quem a transgrida", em um país regido por uma versão ultraconservadora do Islã sunita, o wahabismo.

Na sexta-feira, o porta-voz advertiu também que aqueles que apoiarem a campanha nas redes sociais se expõem a uma pena de até cinco anos de prisão. Até mesmo o imã da Grande Mesquita de Meca, xeque Usama al Jayat, interveio na polêmica, ao lançar nesta sexta-feira em seu sermão uma advertência contra "os slogans que contêm reivindicações suscetíveis de ameaçar a paz social".

"Por precaução e respeito às advertências do ministério do Interior e para evitar que a campanha seja aproveitada por outros grupos, pedimos às mulheres que não dirijam amanhã (sábado) e transformem a iniciativa de 26 de outubro em uma campanha aberta pelo direito das mulheres a dirigir", declarou à AFP uma ativista, Najla Al Hariri. "A data era meramente simbólica. As mulheres começaram a dirigir antes de 26 de outubro e continuarão fazendo depois deste dia", declarou a blogueira Eman Nafjan.

A campanha tinha sido lançada nas redes sociais. Mais de 16.000 pessoas firmaram na internet uma petição pelo direito das mulheres a dirigir, no site oct26driving.com, até que esta foi bloqueada há duas semanas. As organizadoras da campanha destacaram desde o começo que não estão convocando nenhuma manifestação e que o que pedem é que as mulheres tomem o volante individualmente. Seu objetivo é evitar o ocorrido em 1990, quando um grupo de mulheres fez uma carreata em Riad e foi detido.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação