Publicidade

Estado de Minas

Nadejda Tolokonnikova, integrante do Pussy Riot é levada para Sibéria

Decisão da transferência foi tomada depois que ela retomou a greve de fome iniciada no princípio de setembro


postado em 05/11/2013 14:03

Nadezhda Tolokonnikova, de pé na gaiola do réu em um tribunal na cidade de Zubova Polyana, na República da Mordóvia(foto: MAKSIM BLINOV/AFP PHOTO 26/4/2013)
Nadezhda Tolokonnikova, de pé na gaiola do réu em um tribunal na cidade de Zubova Polyana, na República da Mordóvia (foto: MAKSIM BLINOV/AFP PHOTO 26/4/2013)

Moscou - Nadejda Tolokonnikova, uma das duas jovens do grupo contestador russo Pussy Riot que foram presas, foi transferida para um campo de trabalhos na Sibéria, depois de dizer que estava ameaçada de morte na prisão em que se encontrava, anunciou seu marido nesta terça-feira (5/11).

O novo campo de Nadejda Tolokonnikova, de 23 anos, fica na região de Krasnoyarsk (Sibéria Oriental), 4.400 km de Moscou, segundo escreveu Piotr Verzilov no Twitter. "Ela está exilada no fundo da Sibéria. É um castigo pela repercussão de sua carta" que denunciava as ameaças de morte, segundo ele.

Leia mais notícias em Mundo


A decisão da transferência foi tomada depois que ela retomou a greve de fome iniciada no princípio de setembro. O delegado russo para os direitos humanos, Vladimir Lukin, assegurou que Nadejda Tolokonnikova está bem de saúde e foi acompanhada por um médico até o novo campo.

Nadezhda Tolokonnikova cumpre, com outra colega de grupo, uma pena de dois anos por ter cantado, no início 2012, uma "oração punk" contra o presidente Vladimir Putin na catedral de Cristo Salvador, em Moscou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade