Publicidade

Estado de Minas

Presidente e premiê búlgaros advertem população contra a xenofobia

Em um dos últimos incidentes, um muçulmano búlgaro, que alguns skinheads tomaram por um imigrante, foi agredido em Sofia e agora está em coma


postado em 12/11/2013 10:15

Sófia - O primeiro-ministro e o presidente da Bulgária fizeram nesta terça-feira (12/11) um chamado contra a xenofobia, depois de uma série de incidentes em um país que acolhe uma grande número de refugiados sírios. "Nos últimos dias, assistimos incidentes alarmantes, ataques criminosos, incitação ao ódio e pedidos de expulsão de refugiados", afirmaram o chefe de governo Plamen Oresharski e o presidente Rosen Plevneliev.

"Estes atos são extremamente perigosos e inaceitáveis, e devem ser denunciados de forma categórica", afirmaram os dois, advertindo que esses incidentes danificam a imagem europeia do país, membro da União Europeia. "As ajudas aos refugiados não afetarão as ajudas sociais para os cidadãos búlgaros, nem seus empregos, ou pensões", acrescentaram em uma declaração comum.

Leia mais notícias em Mundo

Em um dos últimos incidentes, um muçulmano búlgaro, que alguns skinheads tomaram por um imigrante, foi agredido em Sofia e agora está em coma. Na semana passada, foi fundado um novo partido nacionalista, cujo programa proclama como objetivo "limpar o país do lixo dos imigrantes".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade