Publicidade

Estado de Minas

Emirates domina salão aeronáutico, com 200 pedidos a Boeing e Airbus

Cento e cinquenta Boeing 777X e 50 Airbus A380: com esses gigantescos pedidos, a Emirates busca continuar seu desenvolvimento e servir às ambições de Dubai, afirmou Clark em uma entrevista à AFP


postado em 18/11/2013 17:50

Dubai espera transformar o Al Maktum International no maior aeroporto do mundo, com o objetivo futuro de ter cinco pistas e uma capacidade anual de até 160 milhões de passageiros e 12 milhões de toneladas de carga(foto: Ahmed Jadallah/REUTERS)
Dubai espera transformar o Al Maktum International no maior aeroporto do mundo, com o objetivo futuro de ter cinco pistas e uma capacidade anual de até 160 milhões de passageiros e 12 milhões de toneladas de carga (foto: Ahmed Jadallah/REUTERS)

Dubai - Com 200 aeronaves pedidas à Airbus e à Boeing por milhões de dólares, a empresa Emirates dominou o salão aeronáutico de Dubai, e seu presidente, Tim Clark, anunciou que a companhia aérea continuará comprando mais aviões.

Cento e cinquenta Boeing 777X e 50 Airbus A380: com esses gigantescos pedidos, a Emirates busca continuar seu desenvolvimento e servir às ambições de Dubai, afirmou Clark em uma entrevista à AFP.

"Não acredito que a Emirates pare de fazer pedidos", afirmou o presidente da Emirates, um dia depois do histórico anúncio da compra desses 200 aviões no salão aeronáutico de Dubai. Avaliados em 75 bilhões de dólares a preço de catálogo, esses aviões servirão em grande parte para renovar a frota da companhia de Dubai, explica seu presidente.

Outros pedidos serão necessários para satisfazer as ambições do governo de Dubai, que quer transformar o emirado em um "hub" (centro de conexão) mundial, que se localizará no novo aeroporto, Al Maktum International, inaugurado no final de outubro para o tráfego de passageiros.

Leia mais notícias em Mundo

Dubai espera transformar o Al Maktum International no maior aeroporto do mundo, com o objetivo futuro de ter cinco pistas e uma capacidade anual de até 160 milhões de passageiros e 12 milhões de toneladas de carga.

Os emirados se beneficiam, segundo os especialistas de tráfego aéreo, de uma situação geográfica central para chegar a todos os pontos do planeta, e as três principais companhias do Golfo se aproveitam disso: Emirates, a mais antiga, lançada em 1985; Qatar Airways, que opera voos desde 1994, e Etihad Airways, que comemora em 2013 seu décimo aniversário.

Emirates viaja atualmente a 137 destinos em 77 países. Tem, além disso, a maior frota do mundo de A380 (39 Super Jumbos, com capacidade para mais de 500 passageiros).

Contudo, as companhias tradicionais, como a alemã Lufthansa ou a francesa Air France, criticaram no passado de forma aberta as companhias do Golfo, acusando-as de se beneficiar de vantagens competitivas, graças à inexistência nesses países de importantes encargos sociais e do apoio que recebem do poder público.

Espetacular início do salão de Dubai

O primeiro dia do Salão aeronáutico, domingo, foi marcado por pedidos firmes e em opção feitos exclusivamente por essas companhias do Golfo e avaliados em mais de 140 bilhões de dólares, próximo do recorde registrado em 2007.

A fabricante aeronáutica norte-americana Boeing recebeu, no salão, pedidos firmes e em opção de mais de 101,5 bilhões de dólares, em sua maioria do novo modelo 777-X, de grande capacidade e menor consumo energético.

Seu grande competidor a nível mundial, o europeu Airbus também obteve uma chuva de pedidos firmes e em opção de várias companhias da região do Golfo, por uma quantia de cerca de 40 bilhões de dólares.

Entre eles destacou o pedido dos 50 Airbus A380 pela Emirates, uma boa notícia para o fabricante europeu, que não tinha conseguido nem um só pedido deste modelo, o maior do mundo, desde começo do ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade