Publicidade

Estado de Minas

Venda ao Goldman Sachs abala coalizão governamental na Dinamarca

O partido, posicionado à esquerda dos social-democratas da primeira-ministra Helle Thorniing, rejeitava com veemência a operação


postado em 30/01/2014 12:19

Copenhague - A coalizão de esquerda que governa a Dinamarca implodiu nesta quinta-feira (30/1), após a oposição do Partido Popular Socialista à venda de uma parte da empresa pública de energia Dong ao banco americano de investimentos Goldman Sachs.

O partido, posicionado à esquerda dos social-democratas da primeira-ministra Helle Thorniing, rejeitava com veemência a operação. "Permanecemos até o fim com nossas posições sobre Dong", afirmou em uma entrevista coletiva a ministra de Assuntos Sociais e de Integração, Annette Vilhelmsen, que pediu demissão do cargo e abandonou a direção do partido.

Leia mais notícias em Mundo

O governo de coalizão, que governa o país desde o segundo semestre de 2011, perde assim seis ministros. Mas o Executivo certamente sobreviverá, já que Vilhelmsen assegurou que o Partido Popular Socialista não passará à oposição.

A Dong Energy é um produtor de petróleo, de gás natural e de energia elétrica (eólica e térmica) que registrou em 2012 um volume de negócios de nove bilhões de euros. Em novembro, o Executivo assinou um acordo para uma ampliação de capital na qual o Goldman Sachs pagaria 1,1 bilhão de euros por 19% da empresa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade