Publicidade

Estado de Minas

Otan pretende fazer reunião de emergência sobre crise na Ucrânia

A Otan acrescentou que Rasmussen contactou, ainda, o embaixador russo na aliança, para lhe propor "uma reunião extraordinária


postado em 03/03/2014 17:36

Bruxelas - A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira (4/3), a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Os 28 embaixadores dos países membros da aliança se reunirão porque "os acontecimentos na Ucrânia e nos arredores são considerados uma ameaça aos países vizinhos membros da Otan e têm implicações sérias e diretas na segurança e estabilidade da zona euro-atlântica", indicou o secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, em um comunicado.

Todo Estado membro da Otan pode solicitar uma reunião de emergência, amparando-se no artigo 4º, sempre que "a integridade territorial, independência política ou segurança de uma das partes for considerada ameaçada".

Leia mais notícias em Mundo


A Otan acrescentou que Rasmussen contactou, ainda, o embaixador russo na aliança, para lhe propor "uma reunião extraordinária do Conselho Rússia-Otan sobre a situação na Ucrânia na próxima quarta-feira.

O embaixador "prometeu estudar a proposta", segundo um comunicado da aliança.

A aliança atlântica teve ontem um encontro semelhante, a pedido da Polônia.

As reuniões convocadas sob o artigo 4º são pouco frequentes. As mais recentes foram organizadas a pedido da Turquia, devido ao conflito sangrento na Síria.

O artigo 5º da ata de fundação da Otan pode ser evocado se algum de seus membros for vítima de um ataque armado, considerado um ataque a todos os membros da aliança militar, e precisa de uma resposta de todos.

Em 1997, a Ucrânia assinou um acordo em que se tornou um aliado extra-Otan e membro não-permanente da organização.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade