Publicidade

Estado de Minas

Associações de defesa dos animais denunciam maus-tratos de cavalos

Os cavalos exibem ferimentos, estão doentes, e muitos receberam altas doses de anti-inflamatórios, indica uma investigação realizada entre 2012 e 2013 nos mercados onde são leiloados ou exportados


postado em 13/03/2014 13:37

Paris - A carne de cavalo vendida nos supermercados franceses proveniente dos Estados Unidos, Canadá, México, Uruguai e Argentina implicam riscos sanitários para o consumidor e os animais são alvo de maus-tratos, denunciaram nesta quinta-feira (13/3) associações de defesa dos animais.

Os cavalos exibem ferimentos, estão doentes, e muitos receberam altas doses de anti-inflamatórios, indica uma investigação realizada entre 2012 e 2013 nos mercados onde são leiloados ou exportados esses animais, em criadouros e matadouros.

Leia mais notícias em Mundo

"Além do tratamento inaceitável dado aos cavalos, há utilização corrente de fenilbutazona e outras substâncias perigosas proibidas na UE", deplora Brigitte Gothière, da associação L214, que postou na internet "vídeos que mostram cavalos com feridas abertas, olhos varados, membros quebrados, sem cuidados, outros mortos, em decomposição, nos criadouros".

A L214 pede aos supermercados que deixem de comercializar carne de cavalo procedente das Américas e realiza sua campanha junto a outras organizacões, como a Tierschutzbund Zürich (TSB/ AWF), Animals Angels' USA, GAIA e Eyes on Animals. Segundo elas, em 2012, 82 milcavalos foram abatidos apenas no Canadá para consumo humano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade