Publicidade

Estado de Minas

Suprema Corte suspende execução de dois condenados por estupro em Nova Déli

A jovem morreu 13 dias após ser atacada entre seis homens


postado em 15/03/2014 12:40

Nova Déli - A Suprema Corte indiana suspendeu neste sábado a pena de morte para dois dos quatro homens condenados pelo estupro coletivo de uma estudante em Nova Délhi, um ataque que chocou o país e levou a semanas de protestos.

O tribunal suspendeu a execução de dois homens, Mukesh Singh, de 27 anos, e Pawan Gupta, de 20, enquanto a apelação de sua sentença é apresentada, e pediu que as autoridades "comuniquem a ordem aos funcionários prisionais".

Os dois juízes do tribunal realizaram uma reunião de emergência neste sábado para ouvir a apelação pela suspensão da execução.

Os dois condenados apelaram à Suprema Corte depois que o Tribunal Superior confirmou nesta semana a pena de morte pronunciada em setembro de 2013 aos quatro homens condenados pelo estupro e assassinato da jovem de 23 anos.

A estudante de fisioterapia foi atacada sexualmente com uma barra de ferro depois de embarcar em um ônibus com o namorado na saída do cinema.

O namorado foi espancado e não conseguiu evitar que ela fosse estuprada dentro do ônibus por seis homens.

Os jovens foram, então, lançados nus e feridos para fora do ônibus em uma estrada.

Parentes dos dois condenados estavam presentes na Suprema Corte quando a decisão foi anunciada. O advogado de defesa, M.L. Sharma, afirmou à imprensa após a audiência que o caso contra seus clientes "é uma história falsa inventada pela polícia".

Ele declarou que os dois homens basearam sua apelação à Suprema Corte na alegação de que o Tribunal Superior "não analisou as evidências corretamente".

Sharma alegou que a polícia exagerou ao informar sobre as extensões dos ferimentos internos da jovem.

- Crime terrível -

O Tribunal Superior de Nova Délhi confirmou a sentença de morte dos quatro homens na quinta-feira, classificando o crime de terrível e informando que se enquadra na categoria de "caso extraordinário entre os extraordinários" que permitem execuções.

A Suprema Corte foi informada de que os outros dois homens condenados pelo ataque, Vinay Sharma e Akshai Thakur, não apelaram da decisão.

Um quinto suspeito foi encontrado morto em sua cela no ano passado, no que, segundo as autoridades, se tratou de um suicídio.

Leia mais notícias de Mundo

O sexto criminoso, menor de idade no momento do crime, cumpre pena de três anos de prisão em um instituto correcional.

A jovem morreu 13 dias após o ataque devido aos ferimentos sofridos, depois de ter sido levada a um hospital de Cingapura para receber um tratamento especializado.

Mas a vítima sobreviveu tempo suficiente para fornecer à polícia informações que contribuíram para a prisão dos criminosos. O julgamento foi realizado rapidamente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade