Publicidade

Estado de Minas

Comediante francês é investigado por ironizar decapitação de jornalista

O tribunal de Paris investiga Dieudonné por "apologia ao terrorismo"


postado em 05/09/2014 10:36

(foto: Gonzalo Fuentes/Reuters )
(foto: Gonzalo Fuentes/Reuters )

O polêmico comediante francês Dieudonné, condenado várias vezes, é alvo de uma nova investigação criminal após a transmissão de um vídeo no qual ele ridiculariza a decapitação do jornalista americano James Foley pelo Estado Islâmico (EI), informou nesta sexta-feira (5/9) uma fonte judicial.

A investigação foi lançada quarta-feira pelo tribunal de Paris por "apologia ao terrorismo", após um relatório da polícia, indicou a fonte, confirmando uma informação da rádio RTL.

No vídeo, o polêmico humorista ironiza os governantes dos países ocidentais, que, segundo ele, teriam ficado comovidos com a execução do jornalista americano, mas não com a morte "como um cão" do líbio Muammar Khaddafi ou o enforcamento do iraquiano Saddam Hussein.

Dieudonné depois diz que a decapitação simboliza o "progresso" e o "acesso à civilização". Ele também ataca os pais de James Foley, que foi sequestrado em 2012 no norte da Síria pelo EI.

Leia mais notícia em Mundo

Condenado em várias ocasiões, especialmente por declarações antissemitas, Dieudonné ainda é alvo de vários processos judiciais, principalmente por incitamento ao ódio racial. Em janeiro, uma de suas performances tinha sido proibida na França por causa de comentários antissemitas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade