Publicidade

Estado de Minas

Francês é preso ao voltar de zonas de combate através da Turquia

O rapaz, que teria "menos de 20 anos", foi detido pela polícia fronteiriça ao pisar em solo francês, acrescentou a mesma fonte consultada pela AFP


postado em 26/09/2014 19:22

Nice - Um jovem francês procedente da Turquia foi detido nesta sexta-feira (26/9) no aeroporto de Nice (sudeste da França), ao retornar de "zonas de combate" no Iraque, ou na Síria - informou uma fonte ligada ao caso.

O rapaz, que teria "menos de 20 anos", foi detido pela polícia fronteiriça ao pisar em solo francês, acrescentou a mesma fonte consultada pela AFP. Ele teve de prestar esclarecimentos aos agentes da Direção Geral de Segurança Interna (DGSI).

Trata-se de "uma detenção que exemplifica a determinação dos Ministério dos Interior e da Justiça franceses de empregar todos os meios para garantir a proteção dos nossos concidadãos, em um contexto de risco importante", afirmou nesta sexta-feira à noite o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, após uma visita à Turquia.

O ministro declarou à imprensa francesa que havia uma "ordem de detenção" contra o jovem e que, portanto, "estavam reunidas as condições judiciais para detê-lo".

Três indivíduos suspeitos de serem "jihadistas" deveriam ter sido presos no aeroporto parisiense de Orly, mas chegaram por Marselha (sul), na terça, onde passaram sem dificuldade pelos controles da Alfândega. A trapalhada colocou o governo em uma saia justa esta semana.

Finalmente, os três se apresentaram à gendarmeria no sul do país e foram retidos para serem interrogados. Nesta sexta, sua detenção preventiva foi estendida.

Leia mais notícias em Mundo

A ameaça terrorista aumentou na França nos últimos dias, depois que o Estado Islâmico (EI) convocou seus simpatizantes a matarem cidadãos franceses. Além disso, um grupo ligado ao EI executou o refém francês Hervé Gourdel na Argélia.

Segundo o governo, cerca de 930 franceses têm ligações com braços jihadistas na Síria e no Iraque, o que representa "um aumento de 74% em oito meses".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade