Publicidade

Estado de Minas

Atirador de colégio dos Estados Unidos ganhou arma dos pais

Colegas que frequentavam a mesma escola estariam fazendo comentários racistas, segundo aluno Jordan Luton


postado em 24/10/2014 18:54 / atualizado em 24/10/2014 19:13

O estudante identificado como o atirador do colégio de Seattle, Jaylen Fryberg, ganhou uma arma dos pais no último aniversário. Ele entrou na cafeteria da escola nesta sexta-feira (24/10) e abriu fogo contra colegas, antes de tirar a própria vida.

Na sua conta particular do Instagram, o jovem publicou uma foto há três meses, em que posava com uma arma, dizendo que era "provavelmente o melhor presente", e que amava os pais.

(foto: Instagram/Reprodução)
(foto: Instagram/Reprodução)


A conta do Twitter de Jaylen tinha várias postagem dos últimos dias. Apenas um dia antes do ataque ao colégio, ele escreveu: "Não vai durar... Nunca vai durar...". Na terça-feira (21/10), desabafou: "Eu deveria ter ouvido... Você tinha razão... O tempo todo você tinha razão", há três dias.

(foto: Twitter/Reprodução)
(foto: Twitter/Reprodução)

(foto: Twitter/Reprodução)
(foto: Twitter/Reprodução)

(foto: Twitter/Reprodução)
(foto: Twitter/Reprodução)


(foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)
Em mensagens um pouco mais antigas, é possível notar um tom mais forte: "Você não vai gostar do que vai acontecer!!", escreveu ele no final de agosto.

O estudante Jordan Luton, que jogava futebol americano no time da escola com Jaylen, diz que nas últimas semanas outros alunos teriam feito comentários racistas. Fryberg tem descendência indígena.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade