Publicidade

Estado de Minas

México diz que tratou caso dos alunos desaparecidos com transparência

Desaparecimento, em 26 de setembro, dos 43 estudantes, em Iguala (Guerrero, sul), provocou grande comoção em todo o país e uma onda de protestos


postado em 12/11/2014 15:12

Paris - O subsecretário das Relações Exteriores mexicano, Juan Manuel Gómez Robledo, rebateu nesta quarta-feira (12/11), em Paris, as críticas da gestão de seu governo depois do desparecimento de 43 estudantes e afirmou que as autoridades atuaram com absoluta transparência.

Ante as críticas de que o governo mexicano respondeu de forma tardia a esta crise, o funcionário responsável pelos Direitos Humanos na chancelaria afirmou que esta questão fará parte da investigação conduzida pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Ele também destacou que o governo tem previsto assinar um acordo de colaboração com a CIDH, que enviará especialistas independentes.

O desaparecimento, em 26 de setembro, dos 43 estudantes, provavelmente executados por narcotraficantes, em Iguala (Guerrero, sul), provocou grande comoção em todo o país e uma onda de protestos.

O papa Francisco se solidarizou com as famílias dos estudantes e destacou a realidade dramática por trás do tráfico de drogas.

Leia mais notícias em Mundo

"Quero de alguma maneira expressar aos mexicanos, aqui presentes e o que estão em sua pátria, minha solidariedade neste momento doloroso", afirmou durante a audiência geral desta quarta-feira (12/11) no Vaticano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade