Publicidade

Estado de Minas

Governo da Colômbia e as Farc se reúnem para retomar processo de paz

As negociações, que transcorrem em Cuba sem um cessar-fogo na Colômbia, buscam colocar fim a um conflito armado de 50 anos


postado em 02/12/2014 19:38

Delegados do governo da Colômbia e da guerrilha das Farcs iniciaram nesta terça-feira (2/12) sua primeira reunião em um mês para tentar retomar o processo de paz, dois dias depois da libertação de um general em poder dos guerrilheiros. Nesta reunião a portas fechadas, que poderá se estender até quarta-feira ou além, as dus partes devem fazer uma avaliação do processo de paz iniciado há dois anos e acertar as condições para retomá-lo formalmente.

Segundo o presidente Juan Manuel Santos afirmou na segunda-feira (1/12), os delegados dos dois lados farão "uma avaliação fria e objetiva" do processo de paz. "Por alguns dias vão avaliar onde está o processo, para onde vamos, e para fazer uma avaliação fria, objetiva, para ver como podemos prosseguir", disse o presidente.

As negociações, que transcorrem em Cuba sem um cessar-fogo na Colômbia, buscam colocar fim a um conflito armado de 50 anos, o mais antigo do continente, que deixou 220 mortos e 5,3 milhões de deslocados, segundo números oficiais.

Santos exigia para retomar os diálogos a libertação do general Rubén Alzate e de seus dois acompanhantes, o cabo Jorge Rodríguez e a advogada Gloria Urrego. Os três foram libertados no domingo "em perfeitas condições", de acordo com declarações do presidente.

No final da tarde de segunda-feira, uma nova polêmica envolveu o sequestro do general, após a publicação de uma foto de Alzate ao lado do comandante das Farc Rubén Alzate. A imagem, publicada na conta @FARC_EPaz do Twitter, mostra o líder guerrilheiro com camisa azul e chapéu branco, posando para a câmera abraçado ao general Alzate, também a paisano, sob a legenda "A paz triunfará".

Leia mais notícias em Mundo

O chefe dos negociadores do governo, Humberto de la Calle, rejeitou energicamente o uso da imagem de Alzate, afirmando que "isto não estava acertado", antes de viajar a Havana para se reunir com os delegados das Farc. O presidente da Associação Colombiana de Oficiais Reformados (ACORE), general Jaime Ruiz, disse à imprensa que a imagem "desmoraliza a tropa" e faz parte da "estratégia de propaganda" das Farc.

Alzate, o oficial de mais alta patente sequestrado pelas Farc em 50 anos de conflito armado, foi capturado pela guerrilha com seu assistente e a assessora de projetos especiais do Exército durante um deslocamento à paisana e sem escolta, perto da capital regional Quibdó, no departamento de Chocó.

Na noite de segunda, Alzate pediu ao governo sua passagem para a reserva. "Por minha honra militar, por 33 anos de serviço e por minha família, solicitei minha passagem para a reserva", disse o general Rubén Alzate.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade