Publicidade

Estado de Minas

Fundador do Uber é indiciado na Coreia do Sul

Travis Kalanick e uma empresa local de aluguel de carros infringiram a regulamentação sobre o transporte de pessoas


postado em 24/12/2014 11:07 / atualizado em 24/12/2014 16:09

O fundador e CEO da empresa Uber, que oferece um serviço similar ao táxi tradicional, foi indiciado na Coreia do Sul, nesta quarta-feira, por exercício ilegal da profissão de taxista.

Travis Kalanick e uma empresa local de aluguel de carros infringiram a regulamentação sobre o transporte de pessoas - informou a Promotoria.

Kalanick pode ser condenado a uma pena de dois anos de prisão e a pagar multa de 20 milhões de wons (cerca de US$ 18,5 mil).

As autoridades da capital sul-coreana declararam guerra aos motoristas particulares que trabalham para o Uber. O governo oferece uma recompensa de um milhão de wons para quem fornecer informações sobre as atividades.

A startup americana, presente em mais 250 cidades e 50 países, já teve problemas com a Justiça em várias nações, onde os taxistas acusam-na de concorrência desleal.

Desde sua criação, grupos de taxistas em muitas cidades declararam guerra ao Uber, e governos de todo o mundo tentam boicotar as operações da empresa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade