Publicidade

Estado de Minas

Liberdade de expressão: Papa Francisco pede 'prudência' com sátiras

Na quinta-feira, em um voo para as Filipinas, o Papa defendeu as liberdades de religião e de expressão como "direitos fundamentais", mas destacou que "há limites que devem ser respeitados"


postado em 19/01/2015 19:41

O Papa Francisco pediu "prudência" nesta segunda-feira com as sátiras "porque somos seres humanos", diante de jornalistas durante seu voo entre Manila e Roma.

Na quinta-feira, em um voo para as Filipinas, o Papa defendeu as liberdades de religião e de expressão como "direitos fundamentais", mas destacou que "há limites que devem ser respeitados".

"Se um grande amigo fala mal da sua mãe, ele pode tomar um soco, e isto é normal", disse o Papa, acrescentando que o ataque que matou 12 pessoas na sede do jornal satírico francês Charlie Hebdo no dia 7 de janeiro, em Paris, foi "evidentemente uma aberração".

Leia mais notícias em Mundo

"A princípio, alguém pode dizer que uma reação violenta diante de uma ofensa não é uma boa coisa, que não deve ocorrer. Em teoria, podemos dizer que o Evangelho nos fala para dar a outra face, em teoria, podemos dizer que temos a liberdade de nos exprimir, em teoria, estamos todos de acordo com isto. Mas nós somos seres humanos, é preciso ter prudência, faz parte da coexistência humana (...). Não posso provocar, insultar continuamente, sem o risco de sofrer uma reação injusta".

"A liberdade de expressão deve ter em conta a realidade humana. Deve-se ter prudência, educação. Em teoria, todos estão de acordo, mas na prática, devemos nos segurar um pouco", concluiu Francisco.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade