Publicidade

Estado de Minas

Curdos e palestinos protestam contra caricaturas de Maomé

Na Turquia, cerca de 70.000 curdos se reuniram em Diyarbakir, sudeste do país, para protestar


postado em 24/01/2015 14:52 / atualizado em 24/01/2015 16:27

"Não há Deus senão Deus, e Maomé é o seu profeta", gritavam os manifestantes (foto: AFP PHOTO/ABBAS MOMANI )

Ramallah, Territórios palestinos - Milhares de palestinos foram às ruas de Ramallah e Hebron, na Cisjordânia ocupada, para se manifestarem contra a publicação de uma nova caricatura do profeta Maomé pela revista francesa Charlie Hebdo.

Durante as manifestações, convocadas pelo Partido da Liberação, um movimento islamita, os participantes - alguns deles levando braçadeiras pretas pedindo a instauração do califado - levantaram bandeiras com inscrições muçulmanas e gritaram palavras de ordem contra a França no centro das duas maiores cidades palestinas.

Após ter sido atingida por um atentado que matou 12 pessoas no último 7 de janeiro, o jornal Charlie Hebdo publicou uma nova caricatura do profeta Maomé - dando início a manifestações inflamadas em todo o mundo.

Leia mais notícas em Mundo


Na Turquia, cerca de 70.000 curdos se reuniram em Diyarbakir, sudeste do país, para protestar contra a mesma caricatura, publicada na última edição da revista.

Os manifestantes se reuniram nesta cidade de maioria curda, gritando "Allah Akbar", "Demônios da Charlie, não insultem nosso profeta", ou "Condenados sejam aqueles que proclamam 'Je suis Charlie'", segundo um correspondente da AFP no local.

O ato de Diyarbakir foi organizado pela "Plataforma de fieis do Profeta", da qual faz parte Huda-Par, uma associação considerada como o braço político do Hezbollah turco.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade