Publicidade

Estado de Minas

Conservadores dos EUA avaliam candidatos republicanos para eleição de 2016

Os participantes poderão votar por seu candidato preferido em uma pesquisa que, embora não tenha valor legal, serve para medir a temperatura da disputa. No ano passado foi o senador Rand Paul quem levou a melhor com 31% das preferências.


postado em 26/02/2015 13:32

Washington - Milhares de conservadores americanos se reuniram nesta quinta-feira perto de Washington para sua convenção anual, com o objetivo de avaliar os candidatos republicanos, declarados ou não, para as eleições presidenciais de 2016.

Esta edição da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) contará com oradores como o ex-governador da Flórida irmão e filho de dois presidentes, Jeb Bush, e com os senadores Ted Cruz, Rand Paul e Marco Rubio, que não escondem seu desejo de lutar pela indicação republicana.



Os participantes poderão votar por seu candidato preferido em uma pesquisa que, embora não tenha valor legal, serve para medir a temperatura da disputa. No ano passado foi o senador Rand Paul quem levou a melhor com 31% das preferências.

Leia mais notícias em Mundo

Outras figuras importantes do espectro republicano, como o ex-governador do Texas Rick Perry ou companheiros de disputa, como o magnata imobiliário Donald Trump, também são esperados no encontro.

Os eleitores terão a oportunidade de conversar com seus líderes em sessões de perguntas e respostas, porque "temos que ser capazes de entrar em contato (com os americanos) onde quer que estejam para explicar a eles por que uma política conservadora é crucial", disse Matt Schlapp, chefe da União Conservadora Americana, em seu site.

"Durante a última campanha para a eleição presidencial (em 2012), esta conexão foi estabelecida", disse em referência ao fracasso do republicano Mitt Romney, frente ao presidente democrata Barack Obama.

Além das reuniões com os possíveis candidatos, os conservadores também poderão acompanhar conferências sobre temas como "O Islã e a democracia podem coexistir?" ou "As mentiras da esquerda".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade