Publicidade

Estado de Minas

Mais de 1.000 pessoas protestam contra linchamento de afegã

Ela foi acusada de queimar o Corão mas, segundo ministro do Interior, era inocente


postado em 24/03/2015 15:56

Mais de mil manifestantes desfilaram nesta terça-feira (24/3) pelas ruas de Cabul para protestar contra o linchamento de uma afegã de 27 anos, Farkhunda, acusada de ter queimado um exemplar do Corão.

Os manifestantes, que enfrentaram um forte temporal, gritavam slogans como "chega de ignorância", "os assassinos de Farkhunda devem ser castigados" e "Justiça para Farkhunda".

Uma multidão espancou a mulher e jogou seu corpo incendiado no rio Cabul na quinta-feira passada.

O ministro do Interior, Noorul Haq Ulumi, declarou ante o parlamento que a vítima era inocente e a acusação contra ela falsa.

Leia mais notícias em Mundo

A investigação sobre as circunstâncias do incidente prosseguia, mas a polícia não pode dar detalhes a respeito, segundo seu porta-voz do ministério do Interior.

Ele indicou, no entanto,que 22 pessoas foram detidas relacionadas a este caso. Vinte policiais também foram interrogados.

Nas imagens de linchamento difundidas nas redes sociais se pode ver policiais uniformizados que nada fazem para impedir o linchamento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade