Publicidade

Estado de Minas

Imigrantes tentam cruzar o túnel do Canal da Mancha novamente

A polícia francesa acredita que mais de 800 imigrantes estão ao redor das instalações de Calais no norte da França


postado em 30/07/2015 09:57

Imigrante escala as grades de proteção do Eurotunnel rumo à Inglaterra(foto: AFP Photo / Philippe Huguen)
Imigrante escala as grades de proteção do Eurotunnel rumo à Inglaterra (foto: AFP Photo / Philippe Huguen)


Um grande grupo de migrantes tentou durante a madrugada desta quinta-feira (30/7) cruzar novamente as instalações de Calais (norte da França) da empresa Eurotunnel, a fim de chegar à Inglaterra.

Os policiais contabilizaram entre 800 e 1.000 clandestinos nos arredores do terminal e evitaram cerca de 300 tentativas de acesso, sem prender ninguém. Por sua parte, o Eurotunnel afirmou que a noite foi menos intensa que as anteriores, quando houve uma média de 1.500 e 2.000 tentativas de invasão, e atribuiu isso às boas medidas de segurança adotadas.

Imigrantes africanos após invasão da pista do Eurotunnel rumo à Inglaterra(foto: AFP Photo / Philippe Hugen)
Imigrantes africanos após invasão da pista do Eurotunnel rumo à Inglaterra (foto: AFP Photo / Philippe Hugen)

Na véspera, um migrante sudanês morreu em uma tentativa desesperada de ir da França para a Inglaterra através do túnel sob o Canal da Mancha, e um egípcio foi eletrocutado em uma estação de trem de Paris quando tentava entrar clandestinamente no trem Eurostar. Estes novos incidentes fizeram o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, a anunciar o envio de 120 policiais adicionais à zona de Calais (norte), em particular ao redor do terminal ferroviário do Eurotunnel.

Leia mais notícias Mundo

A situação é muito preocupante, declarou na quarta-feira em Cingapura o primeiro-ministro britânico, David Cameron, que disse que seu governo colaborava estreitamente com o francês para enfrentá-la.

O Eurotúnel anunciou que desde 1º de janeiro havia interceptado mais de 37.000 migrantes que tentavam viajar clandestinamente à Grã-Bretanha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade