Mundo

Autor de massacre no Oregon, no EUA, tinha verdadeiro arsenal

Identificado pela imprensa como Chris Harper Mercer, 26 anos, um jovem taciturno, solitário e ateu, o atirador foi encontrado com seis armas após ser morto na Umpqua Community College

Agência France-Presse
postado em 02/10/2015 21:16
Roseburg - O autor do massacre em uma universidade do Oregon, onde dez pessoas foram mortas na quinta-feira, tinha um verdadeiro arsenal, com ao menos 13 armas de fogo, revelaram as autoridades nesta terça-feira.

Identificado pela imprensa como Chris Harper Mercer, 26 anos, um jovem taciturno, solitário e ateu, o atirador foi encontrado com seis armas após ser morto na Umpqua Community College. Outras sete armas pesadas foram localizadas no apartamento de Mercer.

Junto ao corpo do atirador os policiais também encontraram um colete a prova de balas e cinco carregadores de armas automáticas.



"Até o momento, recuperamos 13 armas. Seis foram encontradas na universidade e sete na residência do atirador", afirmou Celinez Nunez, da agência americana para o Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos."Todas foram rastreadas até um distribuidor de armas federal", afirmou Nunez em coletiva de imprensa.

Obama ataca falta de controle sobre armas
Ao falar sobre o massacre, o presidente americano, Barack Obama, disse nesta sexta-feira que a falta de iniciativa para se estabelecer algum tipo de controle sobre armas nos Estados Unidos é uma decisão política que deve ser enfrentada.

"Vou politizar este assunto porque nossa falta de ação é uma decisão política", afirmou Obama, para quem a oposição ao controle de armas "se deve à política porque há grupos que financiam campanhas e alimentam o medo nas pessoas".

"Já pedi à minha equipe que analise que tipo de autoridade temos para fazer valer, da forma mais eficiente, as leis já existentes para tirar as armas do alcance dos criminosos, mas isto não mudará até que a política mude".

Visivelmente irritado, Obama disse que no mundo há "dezenas de milhões" de jovens furiosos "que não saem dando tiros", que a "maioria das pessoas com problemas mentais não saem realizando disparos", a destacou que "não tem sentido" a teoria de que "há algo no caráter dos americanos que gera isto".

Os níveis de violência nos Estados Unidos, afirmou, estão no mesmo patamar de outros países de economia avançada, mas a diferença "aqui está na taxa de homicídios, na violência com armas de fogo, na taxa de matanças indiscriminadas".

Por esta razão, as pessoas que não aceitam esta situação devem ser tão firmes como "estes absolutistas que pensam que qualquer medida de controle de armas é um ataque a sua liberdade, coisa de comunistas ou uma conspiração minha para permanecer no poder". Existe neste país "todo tipo de teoria lunática".

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, também pediu algum tipo de controle sobre as armas de fogo, considerando que a sociedade está pagando um "preço aterrador" por isto.

Um jovem retraído e tímido
Um investigador revelou nesta sexta-feira que Mercer entregou a um sobrevivente uma mensagem onde revelava sua frustração por não ter uma namorada e ainda ser virgem, mas a versão não foi confirmada por qualquer fonte oficial.

Derrick McClendon, um antigo vizinho de Mercer na Califórnia, revelou que o jovem era muito retraído. "Quando eu o cumprimentava e perguntava como estava, respondia apenas com um olá. Era muito tímido".

Mercer, que se vestia sempre da mesma forma - botas de combate, calça camuflada e camiseta branca - "não queria conversa com ninguém", revelou outro vizinho, Bronte Hart.

Um veterano do Exército está sendo saudado como um herói por enfrentar Mercer durante o massacre, antes de ser atingido, apesar de alegar que era aniversário de seu filho.

Chris Mintz, de 30 anos, que estava estudando para ser um personal trainer na Umpqua Community College, foi baleado cinco vezes por Mercer, mas conseguiu sobreviver.

A família de Mintz afirmou que ele se atirou contra a porta da sala de aula quando o tiroteio começou, para evitar que Mercer entrasse.

Mas o atirador conseguiu tirá-lo do caminho e disparou repetidas vezes contra Mintz, ignorando sua súplica de que era o aniversário de seis anos de seu filho Tirek.

"Ele foi atingido três vezes, caiu no chão, olhou para o atirador e disse ;é o aniversário do meu filho; e foi atingido outras duas vezes", contou Wanda Mintz, tia de Chris.

Mintz foi atingido nas costas, abdômen, mão esquerda e levou um tiro em cada perna, mas espera-se que ele se recupere.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação