Publicidade

Estado de Minas

COP21: manifestações marcam fim das negociações contra o aquecimento global

Enquanto se aguarda a aprovação final do acordo realizado em Le Bourget, ao norte de Paris, os críticos ao projeto fizeram ouvir sua voz num palanque improvisado


postado em 12/12/2015 16:03

Paris, França - Afresco humano, "linha vermelha", minuto de silêncio: milhares de militantes ambientalistas marcaram neste sábado em Paris o final das negociações contra o aquecimento global (COP21) com iniciativas festivas e simbólicas - acompanhadas de perto pela polícia.

(foto: AFP / FRANCOIS GUILLOT)
(foto: AFP / FRANCOIS GUILLOT)


Destaque entre os eventos realizados em inúmeros pontos da capital francesa, uma manifestação reuniu 6.500 pessoas de acordo com a polícia, 15.000 segundo os organizadores no gramado do Champ de Mars, no sopé da Torre Eiffel, sob a guarda das forças de segurança.

Enquanto se aguarda a aprovação final do acordo previsto para a COP21, realizada em Le Bourget, ao norte de Paris, os críticos ao projeto fizeram ouvir sua voz num palanque improvisado.



"Li o projeto de acordo final. Este texto, como já era de se esperar, vai nos levar ao desastre. Nossos representantes querem colocar o mundo no seu limite, mas não deixaremos isso acontecer", afirmou a militante anti-globalização canadense Naomi Klein, símbolo dos ambientalistas radicais.

Leia mais notícias em Mundo

"Nós somos a última geração que poderá impedir o caos climático", protestou outro interlocutor, pedindo para que a multidão presente se mobilize.

Após duras negociações com as autoridades, em alerta por medo de ações de pequenos grupos anti-globalização violentos, os organizadores concordaram com uma dispersão às 13h30 (de Brasília). Na hora marcada, os manifestantes deixaram o Champ de Mars em calma.

No começo do dia, perto do Arco do Triunfo, um longo banner de tecido vermelho simbolizando a "linha vermelha" que não vai ser cruzada nas negociações sobre o clima foi colocado ao longo de toda a avenida de la Grande Armée, do lado oposto à Champs-Elysées.

No local, 3.500 manifestantes, segundo a polícia, se reuniram em uma atmosfera festiva.

Jaquetas vermelhas, chapéus, cachecóis e tulipas vermelhas tinham invadido a calçada. À imagem do ativista que debaixo de um grande guarda-chuva vermelho segurava uma folha com a frase "Je suis Clima".

Na manhã deste sábado, um grande afresco humano também foi realizado por militantes mobilizados nas ruas da capital. Eles conseguiram marcar graças a um sistema GPS através do celular as palavras Clima, Justiça e Paz em pequenos pontos verdes num mapa interativo de Paris (www.climatejusticepeace.org).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade