Publicidade

Estado de Minas

Presidente catalão descarta declarar independência em seu mandato


postado em 04/04/2016 10:15


Barcelona, Espanha - O presidente da Catalunha, o independentista Carles Puigdemont, descartou dar "saltos ao vazio" e declarar a independência da região espanhola nos próximos 16 meses de seu mandato, em uma entrevista publicada nesta segunda-feira.

"Nesta legislatura não, porque não está previsto e não é nosso compromisso", respondeu o líder regional a uma pergunta do jornal econômico espanhol sobre uma hipotética declaração unilateral de independência nos próximos 16 meses.

Mas "faremos todo o trabalho para que este país possa ser um estado independente", acrescenta Puigdemont, nomeado em janeiro como sucessor do ex-presidente Artur Mas, que cedeu seu posto para tornar possível uma aliança de seu grupo com a esquerda radical independentista.

Leia mais sobre Mundo

Com maioria absoluta no Parlamento regional desde as eleições de setembro, os independentistas, divididos entre a coalizão de esquerda e direita Juntos pelo Sim e a esquerda anticapitalista da CUP, colocaram em andamento um plano para se separar do resto da Espanha.

Nesta legislatura, de 18 meses, querem preparar os órgãos de administração necessários para assumir as competências de um Estado como a fazenda ou a segurança social. Após o fim deste um ano e meio, querem proclamar simbolicamente a independência, embora seria de maneira retórica e sem efeitos jurídicos, segundo fontes do executivo catalão.

Depois convocarão eleições para definir o Parlamento que deverá redigir a Constituição do novo Estado catalão. Se os catalães aprovarem esta constituição em referendo, os líderes independentistas declararão oficialmente a secessão desta região de 7,5 milhões de habitantes com um quinto da riqueza espanhola.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade