Publicidade

Correio Braziliense

Pirâmide do faraó Quéops pode conter duas cavidades desconhecidas

Governo egípcio informou em comunicado sobre duas "anomalias" detectadas no monumento. Ainda serão realizados mais testes para definir função, natureza e tamanho das cavidades


postado em 15/10/2016 13:31

A pirâmide de Quéops, um das sete maravilhas da Antiguidade, construída há 4,5 mil anos no Egito, pode conter duas cavidades desconhecidas, anunciaram neste sábado (15/10) os cientistas encarregados do projeto "ScanPyramids".

O ministério das Antiguidades egípcio informou em um comunicado sobre duas "anomalias" detectadas na pirâmide do faraó Quéops e disse que serão realizados mais testes para definir função, natureza e tamanho das cavidades.

O projeto ScanPyramids, lançado e outubro de 2015, recorre a várias tecnologias que misturam a termografia infravermelha, a radiografia com múons e a reconstrução em 3D para tentar "revelar a presença de estruturas internas desconhecidas nos dias de hoje nos monumentos antigos".

O monumento gigantesco se encontra na periferia do Cairo, junto à esfinge e às pirâmides de Quéfren e Miquerinos. Quem determinou sua construção foi Quéops, um faraó da IV dinastia, que reinou no Egito há mais de 2.600 anos antes de Cristo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade