Publicidade

Estado de Minas

Exército dos EUA no Afeganistão admite que 'provavelmente' matou civis

Atos teriam acontecido durante bombardeios na província de Kunduz, onde ao menos 30 pessoas morreram


postado em 05/11/2016 15:42

O Exército americano no Afeganistão reconheceu neste sábado (05/11) que "muito provavelmente" matou civis durante bombardeios na última quinta-feira na província de Kunduz, onde ao menos 30 pessoas morreram. A província foi palco de manifestações após o drama, e dezenas de familiares das vítimas se concentraram diante do escritório do governador, transportando os corpos das crianças mortas.


"O presidente afegão enviou uma delegação especial a Kunduz para investigar o incidente. Toda negligência será castigada", declarou à imprensa o porta-voz da Presidência, Haroon Chakhansuri.

 

Os primeiros indícios demonstram que o ataque aéreo "muito provavelmente causou vítimas civis", afirmou por sua parte o general Charles Cleveland, um dos chefes das forças americanas no Afeganistão, que havia anunciado imediatamente a abertura de uma investigação com as forças aéreas.

O bombardeio foi realizado a pedido das forças afegãs sobre o terreno, que na quinta-feira realizavam uma operação conjunta contra os talibãs na periferia da cidade de Kunduz, na província de mesmo nome. Os afegãos sofreram um ataque dos insurgentes e pediram o apoio aéreo, em uma zona povoada.

O presidente Ashraf Ghani se declarou "muito triste" pelos mortos em Kunduz. Quinze anos depois do início da campanha da Otan no Afeganistão, a morte de civis constitui o pior problema para as tropas ocidentais.

 

Por France Presse

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade