Publicidade

Correio Braziliense

Papa Francisco recebe Donald Trump no Vaticano

Os dois líderes têm posições contrárias sobre temas como migração, mudança climática, venda de armas, pena de morte, islã


postado em 24/05/2017 09:44 / atualizado em 24/05/2017 10:02

O papa recebeu Trump com um aperto de mãos e rosto sorridente na porta da biblioteca. Depois o convidou a entrar no escritório papal(foto: Evan Vucci/POOL/AFP)
O papa recebeu Trump com um aperto de mãos e rosto sorridente na porta da biblioteca. Depois o convidou a entrar no escritório papal (foto: Evan Vucci/POOL/AFP)
 
Cidade do Vaticano, Santa Sé - O papa Francisco recebeu nesta quarta-feira no Vaticano pela primeira vez o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma visita de 30 minutos e que deveria servir para reduzir as divergências entre o governante bilionário e o pontífice latino-americano.


O encontro começou às 8H30 locais (3H30 de Brasília, no escritório privado do papa, no segundo andar do palácio apostólico, e sob imponentes medidas de segurança. O presidente americano e a esposa Melania percorreram antes as suntuosas salas do Vaticano seguidos pelos representantes das famílias nobres italianas, como é tradição para as visitas de chefes de Estado. 

O papa recebeu Trump com um aperto de mãos e rosto sorridente na porta da biblioteca. Depois o convidou a entrar no escritório papal. Um tradutor estava presente no encontro. Francisco recebeu com um "welcome" (bem-vindo), ao que Trump respondeu "é uma honra".
 
 
 
Os dois líderes têm posições contrárias sobre temas como migração, mudança climática, venda de armas, pena de morte, islã. "Obrigado, obrigado. Não esquecerei o que me disse", afirmou Trump ao papa ao final do encontro.

Textos sobre a paz

A audiência privada durou o tempo médio que o papa concede aos governantes. No final do encontro, Trump apresentou a delegação que o acompanhava, incluindo sua filha Ivanka. A audiência aconteceu particularmente cedo, já que Francisco deveria presidir duas horas mais tarde a tradicional audiência geral de quarta-feira na Praça São Pedro, diante de milhares de peregrinos de todo o mundo.

O encontro foi marcado após meses de especulações sobre as dúvidas de Trump de uma reunião com o pontífice durante sua primeira viagem ao exterior como presidente. O papa Francisco aproveitou a oportunidade para presentear Donald Trump com um texto emblemático sobre a paz.

O documento, com o título "A não violência, estilo de uma política para a paz", escrito pelo papa argentino por ocasião da Jornada Mundial da Paz 2017, foi entregue pessoalmente pelo pontífice ao presidente americano. "Espero que seja um instrumento de paz", disse em espanhol o papa a Trump, que respondeu: "Vou ler".

"Precisamos de paz", disse em inglês Trump, que presenteou o papa com uma série de livros de Martin Luther King, o pastor americano e ativista dos direitos civis dos afro-americanos. "Acredito que vai gostar. Espero", disse Trump.

O presidente americano, um protestante presbiterano, e sua terceira esposa, católica, também pretendiam visitar a Capela Sistina e a Basílica de São Pedro. O pontífice, que no início do encontro parecia sério, se mostrou cordial e sorridente durante a audiência e chegou até a brincar com a esposa de Trump, Melania, sobre a altura do marido, mais de 1,90 metro.

"Mas, o que você dá para ele comer?", perguntou, sorrindo. A apertada agenda de Trump inclui mais tarde uma reunião de cortesia com o presidente e o primeiro-ministro da Itália no Palácio de Quirinal. O presidente republicano viajará mair tarde para Bruxelas, onde comparecerá a uma reunião de cúpula da Otan na quinta-feira. Trump deve retornar à Itália para participar da reunião do G7, nos dias 26 e 27 em Taormina, Sicília .

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade