Publicidade

Correio Braziliense

Brasileira que testemunhou atropelamento em Londres relata clima tenso

Jornalista gaúcha, Cynthia Vanzella mora em frente ao local onde o incidente aconteceu e relembra os momentos de tensão


postado em 18/06/2017 23:23 / atualizado em 18/06/2017 23:55

Atropelamento deixou vários feridos ao nordeste de Londres na noite deste domingo(foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)
Atropelamento deixou vários feridos ao nordeste de Londres na noite deste domingo (foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)
 

Jornalista gaúcha, Cynthia Vanzella foi uma das testemunhas do atropelamento que deixou vários feridos ao nordeste de Londres neste domingo (18/6). "Consegui ver que haviam feridos e pelo menos duas pessoas deitadas no chão. Vi as pernas delas e um policial fazendo massagem cardíaca e respiração boca a boca. Eles estavam tentando manter alguém vivo", relatou a jornalista ao Correio

 

Leia mais notícias em Mundo  

 

Segundo a polícia local, houve "uma série de baixas". Eles foram chamados com relatos de "um veículo em colisão com pedestres às 00H20 (23H20 GMT, 20H20 horário de Brasília)". Ainda não há informações se o atropelamento se trata de um possível ataque terrorista. O tráfego foi fechado na parte da Seven Sisters Road, onde o incidente aconteceu.  

 

O atropelamento aconteceu quando fieis deixavam a mesquita Finsbury Park, de acordo com o conselho muçulmano da Grã-Bretanha (MCB) no Twitter.

 

Harun Khan, chefe do MCB, afirmou que a van tinha intenção de atropelar pessoas que deixavam preces noturnas neste mês sagrado do Ramadã. 

 

Cynthia Vanzella, que vive em Londres há seis anos, três deles em Finsbury Park, discorda do posicionamento. "Tenho certeza que não é um ataque terrorista e não é a mesma coisa que aconteceu nas outras vezes. Não sei se é um crime de ódio de alguém que atropelou um muçulmano de propósito ou se é simplesmente um motorista insano, bêbado, que dobrou a rua sem frear", acredita.

 

Jornalista gaúcha, Cynthia Vanzella foi uma das testemunhas do atropelamento (foto: Arquivo pessoal )
Jornalista gaúcha, Cynthia Vanzella foi uma das testemunhas do atropelamento (foto: Arquivo pessoal )
 

"Esse bairro é incrivelmente cultural, existem pessoas de diversos países morando aqui, e de diversas crenças também. Há uma Igreja Universal e uma mesquita do outro lado da rua. Todos os dias, depois que fazem as preces na mesquita, um grupo de muçulmanos se reúne na esquina e fica ali conversando por uma ou duas horas. Isso acontece o ano inteiro", acrescenta Cynthia Vanzella. 

 

 

 

O local 

 

A mesquita fica perto da Seven Sisters Road e já foi um centro conhecido por ter islamitas radicais, mas mudou completamente sob nova administração. O incidente acontece em um contexto de extremo nervosismo, depois que o Reino Unido foi atingido por três atentados em três meses, dois deles com veículos jogados contra as pessoas. 

 

Com informações da France Presse 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade