Publicidade

Correio Braziliense

Polícia da Venezuela prende líderes da oposição de Nicolás Maduro

López e Ledezema fizeram apelos na última semana para que as pessoas não votassem no domingo na eleição da Assembleia Constituinte, convocada por Maduro e rejeitada pela oposição e por vários paíse


postado em 01/08/2017 08:13

Leopoldo Lopez e Antonio Ledezma já estavam sob prisão domiciliar quando foram apanhados pelo serviço de inteligência(foto: Leopoldo Lopez e Evaristo Sa/ AFP - 1/8/2017)
Leopoldo Lopez e Antonio Ledezma já estavam sob prisão domiciliar quando foram apanhados pelo serviço de inteligência (foto: Leopoldo Lopez e Evaristo Sa/ AFP - 1/8/2017)


Caracas, Venezuela - Agentes do Serviço de Inteligência (Sebin) da Venezuela prenderam na madrugada desta terça-feira (1/8) os líderes opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma, que estavam em prisão domiciliar, denunciaram parentes e dirigentes políticos.

"Acabam de levar Leopoldo de casa. Não sabemos onde está nem para onde o levam", denunciou no Twitter a esposa de López, Lilian Tintori. Os filhos de Ledezma, prefeito de Caracas, Víctor, Vanessa e Antonietta, também informaram no Twitter que o Sebin levou seu pai.

Tintori divulgou um vídeo que mostra policiais do Sebin no momento em que colocam López em um veículo e o levam de sua residência. Líderes opositores e a imprensa divulgaram imagens gravadas com um telefone celular do momento em que Ledezma foi retirado com violência de sua casa. 

López, que deixou a penitenciária e foi colocado sob prisão domiciliar em 8 de julho, e Ledezma, detido em sua residência desde abril de 2015, são os dois presos mais emblemáticos da oposição venezuelana. Tintori e os filhos de Ledezma afirmaram que o presidente Nicolás Maduro é responsável pelo que acontecer com os dois.

López e Ledezema fizeram apelos na última semana para que as pessoas não votassem no domingo na eleição da Assembleia Constituinte, convocada por Maduro e rejeitada pela oposição e por vários países. "Levam Leopoldo López e o prefeito Ledezma para provocar medo e nos desmoralizar", disse o deputado Freddy Guevara, do mesmo partido de López e que atribuiu as prisões à "posição firme e clara" de ambos contra o que chamou de "fraude" eleitoral de domingo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade