Publicidade

Correio Braziliense

Negam habeas corpus a vice-presidente do Equador, detido por caso Odebrecht

O advogado de Glas, Eduardo Franco, disse que recorrerá a uma instância superior para apelar da decisão


postado em 15/10/2017 22:08

Quito, Equador -A justiça do Equador negou neste domingo o pedido de habeas corpus ao vice-presidente, Jorge Glas, que continuará em prisão preventiva enquanto durarem as investigações sobre seu envolvimento no caso Odebrecht.

O advogado de Glas, Eduardo Franco, disse que recorrerá a uma instância superior para apelar da decisão.

"Vamos apresentar a apelação sobre essa decisão infeliz negando o habeas corpus. O engenheiro Jorge Glas está detido arbitrariamente. Ele nunca teve intenção nem se provou que houve o risco de fuga", disse Franco à AFP.

Glas, que está atrás das grades desde o dia 2 de outubro e assistiu neste domingo a audiência, é investigado pelo delito de associação ilícita no contexto da trama de subornos milionários entregues pela Odebrecht a funcionários públicos e políticos equatorianos em troca de contratos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade