Publicidade

Correio Braziliense

Feminismo é a palavra de 2017, diz dicionário norte-americano

Campanhas contra o assédio, como a hashtag #MeToo, impulsionaram a popularidade do termo


postado em 13/12/2017 18:36 / atualizado em 13/12/2017 20:09

Marcha das Mulheres em Washington, D.C., nos Estados Unidos(foto: Mario Tama/Getty/AFP)
Marcha das Mulheres em Washington, D.C., nos Estados Unidos (foto: Mario Tama/Getty/AFP)
 
 
O dicionário norte-americano Merriam-Webster elegeu "feminismo" a palavra de 2017. As buscas pelo termo cresceram 70% este ano e superaram as palavras "cúmplice" e "recusa". Os motivos do aumento da pesquisa foram as frequentes denúncias de assédio sexual, a Marcha das Mulheres que ocorreu em janeiro, em Washington, e o lançamento de filmes com protagonistas mulheres, que abordaram o empoderamento delas diante da sociedade patriarcal.
 

De acordo com o dicionário, além de manifestações em prol dos direitos das mulheres, a palavra recebeu foco novamente quando a assessora de Donald Trump, Kellyanne Conway, disse, durante uma entrevista, que não se considerava feminista, “porque parece ser muito antimasculino e certamente é muito pró-aborto, neste contexto”, afirmou.

O lançamento de produções como "Mulher-Maravilha", em junho deste ano, e o seriado "The Handmaid's Tale" também contribuíram para que o interesse pela palavra aumentasse entre a população. "Muitas mulheres se apresentaram para compartilhar suas histórias com jornalistas e muitas outras mulheres se juntaram nas mídias sociais usando a hashtag #MeToo para dizer que elas também foram afetadas por esse comportamento”, informou o dicionário.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade