Publicidade

Correio Braziliense

Reforços policiais são retirados da Catalunha

Os agentes da Polícia Nacional e da Guarda Civil, enviados no final de setembro para esta região do nordeste da Espanha, "vão se retirar até o próximo sábado", indicou um porta-voz do ministério


postado em 26/12/2017 16:50

Os reforços policiais enviados pelo governo espanhol para a Catalunha antes do referendo de autodeterminação de 1º de outubro começaram a se retirar nesta terça-feira (26/12), informou o ministério do Interior à AFP.

Os agentes da Polícia Nacional e da Guarda Civil, enviados no final de setembro para esta região do nordeste da Espanha, "vão se retirar até o próximo sábado", indicou um porta-voz do ministério.

A fonte não especificou de quantos agentes se trata. O jornal El País havia estimado esses reforços em cerca de 10 mil homens.

 

Leia as últimas notícias de Mundo

 

Apesar de ter sido declarado inconstitucional, o referendo do dia 1º de outubro foi realizado pelo governo separatista da Catalunha e foi marcado pela violência da polícia que tentou apoderar-se das urnas nas mesas de voto.

As imagens rodaram o mundo e levaram os separatistas a denunciar a "repressão" do governo central. Pelo menos 92 pessoas ficaram feridas.

A Catalunha tem sua própria força policial, os Mossos d'Esquadra, enquanto a Polícia Nacional e a Guarda Civil desempenham um papel menor na região.

A região está sob tutela do governo central desde 27 de outubro, quando o Parlamento regional aprovou uma declaração unilateral de independência. Com base em um artigo nunca utilizado (155) da Constituição, o governo central destituiu o Executivo regional, dissolveu o Parlamento de maioria separatista e convocou eleições antecipadas para o dia 21 de dezembro.

Os independentistas voltaram a obter a maioria absoluta na eleição e agora  devem tentar formar um novo governo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade