Mundo

Youtuber publica vídeo de homem enforcado e internet reage

Logan Paul tem mais de 15 milhões de inscritos na plataforma de vídeos e pediu desculpas após a enxurrada de críticas

Diário de Pernambuco
postado em 02/01/2018 11:39


O youtuber Logan Paul, de 22 anos, foi alvo de críticas na internet depois de publicar um vídeo em que mostra um homem morto, vítima de enforcamento. Com mais de 15 milhões de inscritos no canal, o ator e humorista deletou o material após a onda de comentários negativos que tomou as redes sociais. No vídeo, ele e amigos exploram a floresta Aokigahara, no Japão, tida como "misteriosa" e associada a fenômenos sobrenaturais pelo elevado número de pessoas que já tiraram a própria vida no local.


Logan publicou, no Twitter, um texto de retratação, afirmando que não publicou o vídeo para ter visualizações. "Eu não fiz isso por acessos. Eu tenho acessos. Eu fiz porque acreditei que poderia ter um impacto positivo na internet, não uma onda de negatividade. Essa nunca foi minha intenção. Eu queria levantar conscientização sobre o suicídio e prevenção ao suicídio e, enquanto pensei ;se esse vídeo salvar a vida de UMA pessoa, terá valido a pena;, foi levado pelo choque e estranhamento, como retratado nas imagens", disse o norte-americano.

No vídeo, ele e amigos se mostram surpresos ao encontrar o corpo. "Essa é a primeira vez para mim, provavelmente acabou de acontecer", diz ele. Alguém, que não aparece, reclama: "Eu não me sinto bem", ao que ele responde com risadas. "Isto era para ser uma piada. Isso tudo era para ser uma piada, como se tornou tão real? Depressão e problemas mentais não são piada. Nós viemos até aqui com a intenção de focar no aspecto sobrenatural da floresta e tudo se tornou real demais", afirmou, nas imagens.

Em seguida, o grupo segue para um estacionamento nos arredores do parque. "Essas risadas não são um retrato de como eu realmente me sinto em relação a isso. As pessoas reagem de diferentes maneiras, eu reagi com humor", disse Logan. O youtuber PewDiePie, já tido como o mais popular do mundo e acusado de racismo e de apoiar grupos nazistas, ironizou a atitude do colega de profissão. ";OK, deixem um like se você também está triste...;", escreveu ele no Twitter.
A Google, empresa matriz do YouTube, disse que o vídeo foi removido porque não respeitava as condições de uso da plataforma. "Nossos pensamentos estão com a família da pessoa que aparece no vídeo", disse a empresa em um comunicado.
[VIDEO1]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação