Publicidade

Correio Braziliense

Fotógrafa divulga fotos de parto inusitado em corredor de hospital nos EUA

Em relato emocionante no blog da fotógrafa, mãe conta que bebê nasceu 25 minutos após rompimento da bolsa


postado em 06/02/2018 13:05 / atualizado em 06/02/2018 13:31

Jesica Wright Hogan deu à luz ao filho Maxwell em frente à sala de operações, no corredor de um hospital(foto: Tammy Karin/Little Leapling Photography)
Jesica Wright Hogan deu à luz ao filho Maxwell em frente à sala de operações, no corredor de um hospital (foto: Tammy Karin/Little Leapling Photography)
 
Kansas, EUA - No último sábado (3/2), a fotógrafa americana Tammy Karin divulgou em sua página do Facebook uma série de fotos de um parto, realizadas em julho de 2017. Seria apenas mais um ensaio fotográfico comum, se não fosse pelo fato de que Jesica Wright Hogan deu a luz a Maxwell no corredor de um hospital, nos EUA. O parto inusitado foi todo documentado em uma seqüência emocionante de cliques feitos por Tammy. 

Em seu blog, Little Leapling Photography, Tammy divulgou o relato de parto de Jesica juntamente das fotos impressionantes do nascimento de Max. Nelas, Jesica e seu marido Travis estão de frente à sala de cirurgias onde, no chão, nasceu o bebê. Segundo Jesica, “desde o início, a gravidez foi no mínimo imprevisível”.

Mãe de cinco filhas, Jesica afirma que até a 37ª semana de gravidez teve poucas dificuldades, o que a deixou surpresa, já que as outras vezes tinham sido mais difíceis. “Meu cervix estava completamente fechado e tive algumas contrações de Braxton Hicks, mas nada que exigisse atenção até terça-feira, dia 18 de julho”, relatou.

As contrações começaram no dia seguinte e ocorriam a cada 3 minutos, quando Jesica já estava no hospital. “Depois de 4 horas de trabalho na banheira, caminhando pelos salões, decidimos que queríamos manter o plano de nascimento livre de intervenções. Deixamos o hospital sem qualquer progresso na dilatação e contrações mais espaçadas”, contou Jesica. Os dias que se seguiram foram de estimulação. 

“No domingo, passamos quase todo o dia na piscina com nossas filhas, na casa da minha sogra pintando as unhas. Eu estava perdendo a fé de que meu corpo soubesse o que estava fazendo”, disse. Jesica relatou que ficou até 2h da manhã do dia seguinte esperando que o corpo desse sinais de que o bebê estava à caminho. Ela chegou a contatar um grupo de grávidas, onde afirmou ter medo de não chegar a tempo no hospital. 
“Essa intuição é real. Se eu tivesse dado crédito para essa voz que estava na minha cabeça naquela noite! No lugar disso, decidi finalmente que iria dormir um pouco, certa de que saberia quando era a hora. Afinal, era meu 6º bebê", escreveu. 
Ver galeria . 9 Fotos Mulher tem parto em corredor de hospital nos EUATammy Karin/Little Leapling Photography
Mulher tem parto em corredor de hospital nos EUA (foto: Tammy Karin/Little Leapling Photography )

Nascimento


Cerca de uma hora depois de uma longa contração, Jesica avisou ao seu marido que tinha chegado a hora. Ao sair da cama, sua bolsa rompeu. Segundo ela, as contrações passaram de “desconfortáveis” para “dolorosas em um piscar de olhos”. 

Travis garantiu que chegariam a tempo no hospital. No caminho, o pai de Max entrou em contato com a fotógrafa Tammy, que foi ao encontro do casal e documentou cada instante do que viria a ser um parto no mínimo imprevisível.

Entre sair de casa após a bolsa romper e chegar ao hospital, foram menos de 25 minutos. “Quando chegamos pensei: Deus, ele está aqui”, afirmou a mãe. “Comecei a tirar minhas calças porque podia sentir meu corpo empurrando a cabeça do bebê para fora. Abaixei minha mão e senti a cabeça saindo. Olhei para o meu marido e disse: 'Travis, vá pegá-lo'.” Deitada no chão, com mais um impulso e auxílio, Max veio ao mundo. “Estava totalmente apaixonada”.

O bebê nasceu no dia 24 de julho. A mãe recordou a presença da fotógrafa Tammy como “algo para o qual sempre irá agradecer”. “Se não fosse por ela, tenho certeza de que não teria terminado tão perfeitamente, e definitivamente, não teríamos nenhuma documentação desse nascimento que foi um turbilhão”, finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade