Publicidade

Correio Braziliense

Zuma afirma que aceitará voto do Parlamento se este decidir por sua saída

Presidente da África do sul não obedecerá a determinação do seu partido e afirma que estará fora caso o Parlamento aprove uma moção de censura contra ele nesta quinta-feira (15/2)


postado em 14/02/2018 11:28 / atualizado em 14/02/2018 12:14

África do Sul - O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, afirmou que aceitará a derrota e deixará o posto, caso o Parlamento aprove uma moção de censura contra ele, prevista para esta quinta-feira (15/2). "Eu estarei fora" se perder na votação legislativa, garantiu. "Não vou renunciar à presidência, mas estou aberto ao diálogo", afirmou Zuma.

A declaração em uma entrevista à emissora estatal SABC sugere que ele não obedecerá a determinação de seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), para que deixe o poder até o fim desta quarta-feira. A sigla decidiu que Zuma deve sair e disse que, caso ele não faça isso voluntariamente, deverá haver votação no Parlamento para destituí-lo.

Zuma disse que tem sido "vítima" no episódio e que discorda dos esforços do próprio partido para retirá-lo do poder. Ele avaliou que estaria disposto a renunciar, mas quer mais alguns meses no posto. Também informou que deve dar uma declaração mais tarde.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade