Publicidade

Correio Braziliense

Cinco pessoas morrem em motim e incêndio em prisão juvenil no Peru

Quatro deles morreram dentro do presídio e outro em um hospital local. Ação foi provocada por uma briga entre membros de grupos rivais


postado em 15/02/2018 06:21

Lima, Peru - Cinco menores morreram na quarta-feira (14/2) em um motim e incêndio em uma prisão juvenil na cidade de Trujillo, no norte do Peru, provocados por uma briga entre membros de grupos rivais. "Até agora temos conhecimento de que há cinco pessoas falecidas, cinco menores de idade falecidos", disse à AFP o suboficial Helber Ordóñez da Polícia de Trujillo, 500 km ao norte de Lima.

"Houve um motim. Os internos colocaram fogo em colchões em parte do estabelecimento, e em consequência disso ocorreu o incêndio", acrescentou Ordóñez, sobre os fatos ocorridos por volta de 13h00 locais (16H00 em Brasília) no Centro de Diagnóstico e Reabilitação Juvenil de Trujillo. "Os menores de idade faleceram, aparentemente asfixiados", explicou o policial.

Quatro deles morreram dentro do presídio e outro em um hospital local, disse um representante do Poder Judicial. Outros 30 menores resultaram feridos e foram trasladados a hospitais, segundo a Defesa Civil e meios locais.

No início do incêndio, a polícia não pôde abrir as portas do presídio para resgatar os internos porque estas superaqueceram pelo forte calor, segundo meios locais. As redes de televisão mostraram imagens de pais de presos desesperados que tentavam obter informações sobre seus filhos em frente ao presídio, de onde saíam colunas de fumaça.

A procuradoria peruana iniciou uma investigação sobre os fatos, mas um responsável do Poder Judicial disse que começaram por uma disputa entre membros de duas gangues rivais de Trujillo: "La Jauría", do bairro El Porvenir, e "La Gran Familia", do bairro Del Valle. "Na hora do almoço estes grupos se enfrentaram e um deles colocou colchões para poder queimar os outros", disse o diretor de centros juvenis do Poder Judicial, Julio Magán. 

Cerca de três horas depois, os bombeiros controlaram as chamas no presídio juvenil, que havia sido cercado pela polícia. "Houve um motim com perdas humanas", disse Enrique Mendoza, um responsável local da Defesa Civil, indicando que os feridos tinham sido "trasladados a hospitais e clínicas". "O fogo começou na parte interna do estabelecimento. As portas estavam fechadas, os jovens não puderam sair e aconteceu o que teve que acontecer", acrescentou com pesar.

As autoridades informaram que a penitenciária juvenil de Trujillo tinha 185 internos, apesar do local ter capacidade para 90.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade