Publicidade

Correio Braziliense

Trump diz que falará com Pyongyang apenas sob 'condições adequadas'

"Temos sido muito duros com eles e, pela primeira vez, querem falar conosco. Vamos ver o que acontece", disse Trump


postado em 26/02/2018 22:01

(foto: AFP / MANDEL NGAN)
(foto: AFP / MANDEL NGAN)
 
O presidente americano, Donald Trump, disse nesta segunda-feira (26) que os Estados Unidos estão dispostos a falar com o regime da Coreia do Norte, mas apenas "sob as condições adequadas".

"Temos sido muito duros com eles e, pela primeira vez, querem falar conosco. Vamos ver o que acontece", disse Trump na Casa Branca, em uma reunião com os governadores dos estados federados, depois de Pyongyang manifestar sua disposição de voltar à mesa de negociação.

Entretanto, o presidente americano não detalhou suas condições para um eventual diálogo.

Pouco depois, a porta-voz do Executivo de Trump, Sarah Sanders, assegurou que os Estados Unidos continuarão "realizando uma campanha de pressão máxima no regime", na linha com a posição mantida por seu governo: "a desnuclearização deve ser resultado do diálogo com a Coreia do Norte", acrescentou. 

A Presidência sul-coreana anunciou no domingo que a Coreia do Norte estava "disposta" a conversar com os Estados Unidos, após um encontro com a delegação norte-coreana na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Pyeongchang, na Coreia do Sul.

A delegação norte-coreana expressou sua "concordância com os diálogos intercoreanos e que as relações entre o Norte e os Estados Unidos deveriam melhorar conjuntamente", segundo um comunicado de Seul.

Este gesto de abertura é feito somente alguns dias depois da imposição de novas sanções contra Pyongyang por parte de Washington.

Na sexta-feira, Donald Trump anunciou as "sanções mais duras impostas a um país", ao revelar novas medidas destinadas a obrigar a Coreia do Norte a acabar com seu programa nuclear e de mísseis balísticos.

Pyongyang, por sua vez, qualificou no domingo as novas sanções como um "ato de guerra", segundo um comunicado do Ministério norte-coreano das Relações Exteriores publicado pela agência oficial KCNA.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade