Publicidade

Correio Braziliense

Plano de Trump para taxar aço não prevê exceções por país

O presidente americano anunciou a decisão de impor, a partir da próxima semana, tarifas de importação de 25% para o aço e de 10% para o alumínio


postado em 02/03/2018 19:23

(foto: Saul Loeb/ AFP )
(foto: Saul Loeb/ AFP )


Washington, Estados Unidos
- Nenhum país ficará de fora da alta das tarifas de importação sobre o aço e o alumínio anunciadas pelo presidente Donald Trump nesta semana, afirmou um alto funcionário da Casa Branca nesta sexta-feira (2/3). 

Trump "deixou claro que essa será uma tarifa geral, sem nenhuma exclusão", disse a fonte, que pediu para não ser identificada. Contudo, a Casa Branca vai considerar a possibilidade de isenções em situações surgidas, examinadas caso a caso, segundo ele. 

O presidente americano anunciou a decisão de impor, a partir da próxima semana, tarifas de importação de 25% para o aço e de 10% para o alumínio. O objetivo seria punir práticas comerciais que ele acredita serem desleais, aumentando o déficit e roubando empregos americanos.

De acordo com a fonte, as medidas não representam uma alta significativa dos preços do aço e do alumínio para os consumidores americanos e seu principal objetivo é a proteção da siderurgia local. 

"Precisamos de uma indústria do aço, como precisamos de uma do alumínio, por uma questão de segurança nacional, ponto final", afirmou a fonte. 

Parceiros comerciais dos Estados Unidos e entidades como a Organização Mundial do Comércio (OMC) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) já alertaram para os efeitos imprevisíveis da adoção dessas medidas comerciais restritivas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade