Publicidade

Correio Braziliense

China apela à "coragem política" antes da reunião Trump e Kim Jong Un

A China, responsável por 90% do comércio exterior da Coreia do Norte, expressa alívio com a recente aproximação nas relações intercoreanas, depois das ameaças de guerra em sua fronteira proferidas por Pyongyang e Washington


postado em 09/03/2018 07:54

Pequim, China - A China fez um apelo nesta sexta-feira à "coragem política" de Estados Unidos e Coreia do Norte após o anúncio de uma reunião entre Donald Trump e Kim Jong Un sobre o programa nuclear de Pyongyang.

"Esperamos que todas as partes demonstrem coragem política para tomar as boas decisões", afirmou o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Geng Shuang.

O presidente americano Donald Trump aceitou participar em uma reunião histórica até o fim de maio com o líder norte-coreano Kim Jong Un, anunciou na quinta-feira um emissário sul-coreano.

Um anúncio espetacular, depois da divulgação na terça-feira de uma reunião em abril entre o dirigente norte-coreano e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, na linha de demarcação que separa os dois países.

O local e a data do encontro ainda não foram divulgados. "Celebramos o sinal positivo que constitui este diálogo direto entre Estados Unidos e Coreia do Norte", declarou Geng. "A questão nuclear na península coreana avança na direção correcta", completou.

A China, responsável por 90% do comércio exterior da Coreia do Norte, expressa alívio com a recente aproximação nas relações intercoreanas, depois das ameaças de guerra em sua fronteira proferidas por Pyongyang e Washington.

Ao ser questionado se a China tinha a intenção de oferecer o país como sede da reunião Trump-Kim, o porta-voz da diplomacia chinesa se limitou a responder que o país tem um papel "indispensável" para reduzir a tensão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade