Publicidade

Correio Braziliense

Brasileiro e paraguaio estão entre os oito mortos em presídio na Bolívia

Os incidentes deixaram vários mortos e mais de 20 feridos, entre presidiários e policiais, por disparos de armas de fogo e golpes.


postado em 16/03/2018 07:32

La Paz, Bolívia - O governo boliviano anunciou na quinta-faira (15/3) que entre os sete mortos durante uma operação policial no presídio de Palmasola (leste) estão um paraguaio e um brasileiro.

O vice-ministro do Regime Interior, José Luis Quiroga, anunciou durante a quinta-feira um balanço de oito mortos, mas poucas horas depois o governo informou que os incidentes registrados na quarta-feira durante uma operação para tomar o controle da prisão terminaram com sete vítimas fatais.

Um preso faleceu na quinta-feira, não como consequência do confronto, e sim vítima de uma "doença terminal", segundo as autoridades.

Os incidentes deixaram sete mortos e mais de 20 feridos, entre presidiários e policiais, por disparos de armas de fogo e golpes. 

As autoridades informaram que entre os mortos há um paraguaio e um brasileiro que faziam parte do corpo de segurança de segurança de um perigoso detido que mantinha o controle do centro carcerário. 

Entre os presos feridos também há um brasileiro, um equatoriano, um paraguaio e um colombiano. O governo realizou a operação policial para tomar o controle de Palmasola, argumentando que havia "um completo desgoverno".

Em Palmasola, de aproximadamente 4.000 internos, havia tranquilidade, enquanto a polícia realocava réus perigosos e conflitivos a outras prisões.

Por outro lado, a Igreja católica pediu esclarecimento pela morte de réus. "As mortes e a dor que puderam ser evitadas clamam que se estabeleçam responsabilidades e sanções justas e imediatas", afirmou.

A estatal Defensoria do Pública abriu, separadamente, uma investigação e revelou que alertou sobre a presença de armas no presídio e pediu que se proteja a vida das pessoas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade