Publicidade

Correio Braziliense

Sobe para seis o número de mortes por queda de passarela na Flórida

O projeto foi desenvolvido a pedido de estudantes, para evitar atropelamentos na rodovia, um lugar onde havia frequentes acidentes


postado em 16/03/2018 16:05

Vários veículos foram atingidos pelo desabamento da passarela de pedestres na Florida International University em Miami(foto: Joe Raedle/Getty Images/AFP)
Vários veículos foram atingidos pelo desabamento da passarela de pedestres na Florida International University em Miami (foto: Joe Raedle/Getty Images/AFP)


As autoridades da Flórida confirmaram nesta sexta-feira (16/3) que subiu para seis as mortes confirmadas devido à queda de uma passarela próxima à Universidade Internacional da Flórida, em Miami, nos Estados Unidos. Ao menos dez pessoas continuam internadas, algumas em estado gravíssimo.  A obra recém construída atravessava uma rodovia de oito faixas e ainda não tinha sido inaugurada.

O projeto foi desenvolvido a pedido de estudantes, para evitar atropelamentos na rodovia, um lugar onde havia frequentes acidentes. No ano passado, uma jovem de 18 anos morreu ao tentar cruzar as autopistas de alta velocidade.

Com 53 metros de altura, a passarela ligava a universidade à cidade de Sweetwater. Vídeos de celular postados nas redes sociais mostram o momento do colapso e como vários carros foram completamente esmagados pelas 950 toneladas de concreto e ferro. 

A obra foi projetada para resistir a furacões de categoria 5 e a terremotos. A construção foi considerada inovadora, já que a passarela foi posicionada no local em menos de seis horas.

O governador da Flórida, Rick Scott, garantiu que as investigações para definir as causas do desabamento vão começar imediatamente. O senador republicano do estado, Marco Rubio, disse que a resposta não vai trazer conforto às famílias, mas é fundamental para evitar que um caso assim aconteça novamente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade