Publicidade

Correio Braziliense

Milhares de australianos se manifestam contra grandes projetos de gás

No centro de Sydney, as pessoas participavam da manifestação "Time2Choose", que reuniu milhares de ecologistas e nativos, entre outros


postado em 24/03/2018 11:11

(foto: AFP / Peter PARKS)
(foto: AFP / Peter PARKS)

Milhares de australianos se manifestaram neste sábado (24) em Sydney, a pé e a cavalo, para pedir o abandono dos grandes projetos de exploração de gás e carvão nas zonas rurais do país.

No centro de Sydney, as pessoas participavam da manifestação "Time2Choose", que reuniu milhares de ecologistas e nativos, entre outros.

Em toda Austrália, os ativistas estão-se mobilizando contra projetos mineradores em zonas residenciais e agrícolas, porque temem que prejudiquem as terras cultiváveis.

"O mercado do carvão e do gás está mudando, e a abordagem mundial de energia está mudando", disse à AFP uma das organizadoras da manifestação, Georgina Woods, do grupo contra carvão Lock The Gate.

"Não queremos que nosso país sacrifique a agricultura sustentável e a população pelos interesses financeiros em curto prazo relacionados com as minas, que apenas causam a degradação em longo prazo do meio ambiente", acrescentou.

A Austrália é um dos maiores produtores de carvão e gás do mundo, mas os projetos em curso, sobretudo de gás metano de carvão, suscitam a oposição porque usam técnicas como o fraturamento hidráulico (fracking).

Alguns estados e territórios decidiram proibi-lo em nome da proteção do meio ambiente, enquanto outros aumentaram seus investimentos em projetos de energia renovável.

"Nossas explorações agrícolas estão arruinadas, sem água. Há plataformas de perfuração e minas de carvão no meio dos campos", contou à AFP Clare Twomey, uma das fundadoras do grupo Knitting Nannas Against Gas.

"É um grande desastre para o nosso planeta", alertou.

As energias não renováveis, como o carvão e o gás, são a principal fonte de fornecimento de energia na Austrália, apesar de, nos últimos anos, ter ocorrido um aumento das renováveis.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade