Publicidade

Correio Braziliense

Jovem morto por policiais nos EUA levou oito tiros, diz família

Stephon Clark foi morto por policiais na Califórnia em 18 de março


postado em 30/03/2018 20:12

Stephon Clark, um jovem negro morto por policiais na Califórnia em 18 de março passado, levou oito tiros, todos nas costas e de lado - informaram os advogados da família nesta sexta-feira (30/3), com base nos resultados de uma necropsia independente.

O estudo foi conduzido pelo patologista Bennet Omalu, que indicou que a vítima não teve qualquer perfuração frontal e que levou "entre três e 10 minutos" para morrer.

"Durante toda a interação, estava de costas para os policiais, não de frente", disse ele em entrevista coletiva em Sacramento.

"Pode-se concluir, razoavelmente, que recebeu sete disparos (somente) nas costas", acrescentou.

Clark foi velado na quinta-feira, quase duas semanas depois de sua morte, em 18 de março, um domingo, quando a Polícia respondeu a uma chamada de emergência sobre um homem que havia quebrado a janela de carros em um bairro na capital da Califórnia.

Os oficiais consideraram-no o principal suspeito e o perseguiram. Tudo foi gravado em vídeo de um helicóptero e através de câmeras nos uniformes dos agentes.

O vídeo mostra o jovem correndo e buscando abrigo no nos fundos da casa de seus avós, onde morava.

Os policiais dizem "mostre suas mãos!" e imediatamente gritam "Arma, arma, arma!". Nesse momento, disparam 20 vezes. Ao revistar o corpo, os agentes encontraram apenas um celular iPhone.

"A proposta de que estava de frente para os oficiais é inconsistente com a evidência forense", indicou o especialista.

A morte do jovem afro-americano nas mãos da Polícia deflagrou uma onda de protestos em Sacramento.

Clark "morreu em mais um assassinato sem sentido da Polícia sob circunstâncias questionáveis", indicou o conhecido advogado de direitos civis Benjamin Crump, que representa a família da vítima.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade