Publicidade

Correio Braziliense

Vinte estrangeiros radicalizados foram expulsos da França em 2017

Collomb foi entrevistado pelo jornal Ouest-France sobre as expulsões de estrangeiros radicalizados, que são exigidas pela direita e pela extrema-direita


postado em 31/03/2018 15:00

(foto: Bertrand Guay/AFP)
(foto: Bertrand Guay/AFP)


Paris, França - Vinte estrangeiros radicalizados em situação regular foram expulsos da França em 2017, afirmou neste sábado o ministro do Interior, Gérard Collomb, ressaltando que este número "jamais foi alcançado antes".

Collomb foi entrevistado pelo jornal Ouest-France sobre as expulsões de estrangeiros radicalizados, que são exigidas pela direita e pela extrema-direita após os atentados que deixaram quatro mortos no sul do país em 23 de março.

Collomb classificou o número de 20 expulsões de "recorde", sem dar detalhes sobre a nacionalidade das pessoas expulsas.

Em sua entrevista ao jornal, o ministro do Interior considerou que os últimos atentados eram "dificilmente previsíveis".

O autor do ataque no sul da França, na semana passada, Radouane Lakdim, de 25 anos, havia sido fichado pelos serviços de inteligência por radicalização islamita e foi abatido no supermercado em que havia feito reféns.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade