Publicidade

Correio Braziliense

Laboratório britânico não encontra provas de que gás neurotóxico é russo

O chefe do laboratório militar britânico de Porton Down afirmou que foi identificado que o gás utilizado contra Sergei Skripal e sua filha realmente foi o Novichok


postado em 03/04/2018 13:00

Sergei e sua filha, Yulia, sofreram um ataque próximo à casa do ex-espião em março, no Reino Unido(foto: Ben Stansall / AFP)
Sergei e sua filha, Yulia, sofreram um ataque próximo à casa do ex-espião em março, no Reino Unido (foto: Ben Stansall / AFP)
London, Reino Unido -
O chefe do laboratório militar britânico de Porton Down, Gary Aitkenhead, afirmou que não foi possível determinar que o agente neurotóxico usado para envenenadr o ex-espião russo Serguéi Skripal proceda da Rússia, em uma entrevista à Sky News nesta terça-feira (3/4).

"Fomos capazes de identificar que se trata de Novichok, de identificar que foi um agente neurotóxico de tipo militar", afirmou. "Mas não identificamos sua origem exata", acrescentou.
Ele disse ainda que o governo britânico utilizou "várias outras fontes para chegar a suas conclusões", segundo as quais a Rússia seria a responsável pelo ataque.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade