Publicidade

Correio Braziliense

EUA envia 'mensagem clara' a Bashar al Assad, diz secretário da Defesa

"É o momento de as nações civilizadas se unirem com urgência para acabar com a guerra civil, apoiando o processo de paz liderado pelas Nações Unidas", declarou o general Jim Mattis


postado em 13/04/2018 23:29 / atualizado em 14/04/2018 01:02

(foto: Alex Wong/Getty Images/AFP )
(foto: Alex Wong/Getty Images/AFP )
 
O secretário americano da Defesa, general Jim Mattis, declarou nesta sexta-feira (14/4) que Washington enviou "uma mensagem clara" ao líder sírio, Bashar al Assad, diante do uso de uma arma química no sábado passado na região de Duma.

"Enviamos uma mensagem clara", disse Mattis sobre os ataques ordenados pelo presidente Donald Trump contra múltiplos alvos na Síria, com o apoio de forças britânicas e francesas.

Mattis afirmou que chegou o momento de a comunidade internacional se unir para acabar com o banho de sangue que se arrasta há vários anos na Síria.

"É o momento de as nações civilizadas se unirem com urgência para acabar com a guerra civil, apoiando o processo de paz liderado pelas Nações Unidas", declarou o general Mattis durante entrevista coletiva no Pentágono.
 
O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, manifestou neste sábado seu apoio aos bombardeios de Estados Unidos, França e Reino Unido contra a Síria, em resposta a supostos ataques químicos realizados pelo regime de Bashar al Assad há uma semana.

"Isto vai reduzir a capacidade do regime de voltar a atacar o povo da Síria com armas químicas", disse Stoltenberg em um comunicado divulgado após o anúncio da operação. 
 

Invisíveis ao radar

 
Mattis afirmou ainda que os ataques aéreos contra a Síria foram pontuais e tiveram como alvo três locais nos arredores de Damasco onde se suspeita que o regime de Bashar al Assad produza e armazene armamentos químicos. "Por ora, não temos novas ações planejadas." O secretário de Defesa destacou ainda que "não houve relato de dano" entre as forças dos EUA e dos aliados.

De acordo com o general Joseph Dunford, o ataque durou menos de uma hora. Segundo a rede CNN, foram utilizados na ação militar bombardeiros B-1, invisíveis ao radar.

Cerca de uma hora antes, o presidente americano, Donald Trump, ressaltou que os ataques ocorrerão "até que o regime sírio deixe de utilizar armas químicas contra civis". "Sustentaremos esta ação tanto quanto for necessário", disse. 
 
Com informações da Agência Estado 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade