Publicidade

Correio Braziliense

EUA anunciarão na segunda-feira novas sanções contra Rússia por crise síria

Investigadores da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) começaram a analisar neste domingo o suposto ataque químico de 7 de abril que matou dezenas de pessoas em Duma, perto de Damasco


postado em 15/04/2018 16:23

(foto: Jorge Silva/AFP)
(foto: Jorge Silva/AFP)
 
Washington anunciará nesta segunda-feira novas sanções contra a Rússia relacionadas ao suposto uso de armas químicas por parte das tropas do governo sírio, apoiado política e militarmente por Moscou, disse neste domingo (15/4) a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley.

Os Estados Unidos já tomaram diversas medidas punitivas contra o "mau comportamento" da Rússia em uma série de casos, declarou Haley ao canal Fox News, recordando a expulsão de 60 "espiões russos" em resposta ao ataque com um agente neurotóxico no Reino Unido contra um ex-espião russo e as recentes sanções contra "oligarcas" próximos ao Kremlin.

Haley advertiu que haverá novas sanções e que serão reveladas na segunda-feira.

Em outro programa, "Face The Nation", da emissora de televisão CBS, Haley foi questionada se Washington tomaria mais medidas contra o apoio ao presidente sírio, Bashar al-Assad, por Rússia e Irã, ao que respondeu: "absolutamente". "Verão que as sanções russas vão chegar", advertiu.

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steve Mnuchin, "as anunciará na segunda-feira (...) e apontarão diretamente para todo tipo de empresas que se ocupam de equipamentos vinculados a Assad e à utilização de armas químicas" na Síria, acrescentou.

Investigadores da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) começaram a analisar neste domingo o suposto ataque químico de 7 de abril que matou dezenas de pessoas em Duma, perto de Damasco, que motivou o bombardeio com mísseis contra o governo sírio por parte de Estados Unidos, França e Reino Unido. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade