Publicidade

Correio Braziliense

Ministro turco diz que acordo de Minbej 'restabelecerá confiança' com EUA

A cidade de Minbej, localizada a 30 quilômetros da fronteira turca, está sob o controle das Unidades de Proteção do Povo (YPG), uma milícia curda considerada "terrorista" pela Turquia, mas aliada dos Estados Unidos na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI)


postado em 06/06/2018 14:29

(foto: AFP / HECTOR RETAMAL)
(foto: AFP / HECTOR RETAMAL)

 
A aplicação do roteiro acordado por Washington e Ancara sobre a cidade estratégica síria de Minbej vai "restaurar a confiança" entre os dois aliados, que se opõem sobre várias questões - estimou o ministro turco das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, nesta quarta-feira (6/6).


O ministro se mostrou cauteloso, porém, afirmando que "Washington já deixou de cumprir suas promessas no passado". O roteiro "deve ser aplicado, se não a confiança será perdida", insistiu.

"Mas eu acredito que (os Estados Unidos) perceberam que é uma questão crucial", acrescentou, respondendo à AFP durante uma viagem para Antalya (sul), no âmbito da campanha para as eleições legislativas de 24 de junho.

A cidade de Minbej, de maioria árabe, localizada a 30 quilômetros da fronteira turca, está sob o controle das Unidades de Proteção do Povo (YPG), uma milícia curda considerada "terrorista" pela Turquia, mas aliada dos Estados Unidos na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI).

As YPG são a espinha dorsal das Forças Democráticas Sírias (FDS), a aliança de combatentes árabes e curdos que tiveram um papel fundamental para derrotar o EI na Síria e que tomaram Minbej em 2016.

O apoio dos Estados Unidos a esta milícia tensionou as relações entre Washington e Ancara, que considera as YPG como um apêndice na Síria do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

A Turquia ameaçou em várias ocasiões atacar Minbej, onde as tropas americanas e francesas da coalizão internacional antiextremista estão posicionadas.

Mas, na segunda-feira, 4/6, em uma reunião em Washington, Cavusoglu e seu colega americano, Mike Pompeo, aprovaram um "roteiro" conjunto para garantir a segurança e a estabilidade de Minbej.

"O objetivo do roteiro é erradicar as YPG/PKK de Minbej. Então, vamos trabalhar (com os EUA) para estabelecer uma estrutura de segurança e decidir em conjunto quem irá administrar a cidade", disse o ministro.

Este é um "quadro político amplo", cujos "detalhes ainda devem ser negociados" e cuja implementação "será passo a passo, dependendo da situação no terreno", disse um funcionário de alto escalão do Departamento de Estado americano a repórteres na terça-feira (5/6).

Sem se referir ao acordo turco-americano, as YPG anunciaram na terça-feira, 5/6, que retirariam de Minbej seus últimos "conselheiros militares", encarregados de treinar combatentes antijihadistas locais.

"Eu não tenho certeza se eles estão se retirando", reagiu Cavusoglu, afirmando que souberam dessa retirada pela imprensa.

"No passado, os Estados Unidos nos disseram que (as YPG) tinham ido embora, e esse não era o caso", continuou ele.

A presença de forças curdas sírias na fronteira com a Turquia irrita Ancara, que desde 2016 lançou duas ofensivas militares no norte da Síria para expulsá-las.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade