Publicidade

Correio Braziliense

Autoridade ambiental paralisa construção de hidroelétrica na Colômbia

Desde 12 de maio passado, o desabamento de um dos túneis de desvio das águas colocou em risco a estabilidade da gigantesca obra


postado em 30/06/2018 07:25

(foto: Joaquin Sarmiento/AFP)
(foto: Joaquin Sarmiento/AFP)

 
Bogotá, Colômbia - A Autoridade Nacional de Licenças Ambientais (ANLA) decretou na sexta-feira (29/6) a suspensão da obra de construção da maior hidroelétrica da Colômbia, por possível risco de impacto ambiental, em uma decisão que afeta a construtora brasileira Camargo Correa.

As obras estão a cargo do consórcio CCC Ituango, integrado pela Camargo Correa (55%) e as colombianas Conconcreto (35%) e Coninsa-Ramón H (10%).

A ANLA "impõe medida preventiva à empresa Hidroelétrica" até que um especialista certifique "a existência ou não de condições de risco que possam derivar em impactos sobre o ambiente".

A suspensão não envolve os trabalhos que são realizados para se evitar o colapso da represa, situada no município de Ituango, no departamento de Antioquia (noroeste).

Desde 12 de maio passado, o desabamento de um dos túneis de desvio das águas colocou em risco a estabilidade da gigantesca obra, que pretende cobrir quase um quinto da demanda energética da Colômbia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade