Publicidade

Correio Braziliense

Sítios pré-islâmicos iranianos são incluídos como Patrimônio da Humanidade

Os oito sítios no Irã aparecem coletivamente na lista de patrimônio universal sob a designação de "paisagem arqueológica sassânida da região de Fars"


postado em 30/06/2018 15:58

Manama - Uma série de sítios arqueológicos pré-islâmicos iranianos foram adicionados, neste sábado (30), à lista do Patrimônio da Humanidade da Unesco, junto com os edifícios art déco de Mumbai e vários templos budistas coreanos - anunciou a agência da ONU, reunida no Bahrein.

Os oito sítios no Irã aparecem coletivamente na lista de patrimônio universal sob a designação de "paisagem arqueológica sassânida da região de Fars".

Fars, uma província do sul do atual Irã, é berço da dinastia sassânida, que surgiu no início do século III. Os sassânidas reinaram em um território que, em seu auge, abrangia do oeste do Afeganistão até o Egito, antes de sucumbir à conquista árabe sob o califado Omíada, em meados do século VII.

"Estas estruturas fortificadas, palácios e planos urbanos remontam aos primeiros e últimos momentos do império sassânida", escreveu a Unesco em um comunicado.

Com este novo sítio, a República Islâmica do Irã conta com 23 bens inscritos na lista do patrimônio cultural mundial, além de um sítio natural. 

Na Índia, os edifícios de estilo Bombay Art deco também foram acrescentados à lista de Patrimônio Mundial da Unesco, somando-se à arquitetura vitoriana da cidade.

O Bombay Art deco é considerado o segundo conjunto mais importante do mundo, atrás de Miami, desta tendência arquitetônica que causou furor nos Estados Unidos e na Europa nos anos 1920-1930.

A maioria dos edifícios deste estilo, ameaçados pela especulação imobiliária da megalópole, foi construída entre o início dos anos 1930 e o início da década de 1950, no declínio do período colonial britânico.

Muitos deles estão localizados no sul da cidade, onde contrastam com as construções de estilo neogótico vitorianas.

Outros sítios escolhidos neste sábado pela Unesco para integrar sua lista de Patrimônio da Humanidade são os "sansa", sete antigos monastérios budistas de montanhas de Coreia do Sul construídos durante o período dos Três Reinos, que se estendeu até o século VII da nossa era.

"Estes monastérios das montanhas são lugares sagrados que sobreviveram como centros de fé e prática religiosa diária ativamente até a atualidade", explicou a Unesco em um comunicado.

O budismo foi importado na península da Coreia no século IV e foi aceito pelos antigos reinos de Goguryeo, Baekje e Silla, estabelecendo-se como religião nacional por mais de 1.000 anos.

No auge da religião, nos séculos V e VI, foram construídos muitos lugares de oração, graças a um forte mecenato, acelerando a importação da cultura, arquitetura e estilo budistas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade