Publicidade

Correio Braziliense

FBI prende homem que planejava atentado no feriado de 4 de julho

Os agentes vigiavam o professor Demetrius Pitts há alguns meses, desde que postou nas redes sociais comentários favoráveis à rede Al-Qaeda


postado em 02/07/2018 15:33

O FBI informou nesta segunda-feira (2/6) a prisão de um homem simpatizante da rede Al-Qaeda que planejava um ataque com explosivos em Cleveland, Ohio, no feriado de 4 de julho.

O professor Demetrius Nathaniel Pitts, que também usava o nome de Abdur Raheem Rafeeq, teria dito a um agente disfarçado da polícia federal americana que pretendia explodir um carro carregado de explosivos durante as festividades públicas pelas comemorações da Independência dos Estados Unidos.

"Seu desejo era matar pessoal militar e suas famílias", afirmou o agente do FBI Steve Anthony, encarregado do caso.

Funcionários do FBI e do Departamento de Justiça informaram que Pitts, um cidadão americano com "longo histórico criminoso", foi detido depois de discutir formas de realizar adiante o atentado sem saber que seu interlocutor era um agente.

De acordo com Anthony, os agentes vigiavam Pitts há alguns meses, desde que postou nas redes sociais comentários favoráveis à rede Al-Qaeda e mostrou intenções agressivas contra as Forças Armadas americanas.

Em uma dessas mensagens, Pitts sugeriu aos muçulmanos a treinar combate corpo a corpo, assim como o uso de armas e explosivos. "Suas mensagens no Facebook são perturbadoras", afirmou Anthony.

Segundo seu testemunho, Pitts estava concentrado em definir o melhor lugar para o atentado, e havia expressado dúvidas se tinha as habilidades necessárias para construir ou conseguir explosivos.

A ideia de Pitts, segundo informaram os agentes, era usar um ou mais veículos carregados com explosivos e manipulados por controle remoto contra um dos desfiles de 4 de julho. Ele também teria mencionado a possibilidade de um ataque "em larga escala" contra a catedral da igreja católica de Cleveland. 

De acordo com os agentes, Pitts tinha uma arma e seus antecedentes criminais incluem agressão física, assalto e violência doméstica.

O FBI vigiava Pitts de perto desde que ele manifestou interesse em entrar em contato com um "irmão" pertencente à rede Al-Qaeda.

Em junho deste ano, Pitts finalmente conseguiu entrar em contato com uma pessoa que acreditava pertencer a uma rede operacional da Al-Qaeda, embora se tratasse de um agente disfarçado.

"Estou tentando imaginar alguma coisa que abale o 4 de julho. O que pode os atingir no rosto? Explodir uma bomba nos desfiles de 4 de julho", teria dito Pitts ao agente secreto

No domingo, Pitts se encontrou novamente com o mesmo "irmão", e "por livre e espontânea vontade, expressou sua lealdade à rede Al-Qaeda e seu desejo de participar de um ataque terrorista em 4 de julho", disse Anthony.

Os funcionários americanos informaram que por ora não está claro se Pitts tinha uma rede de apoio no país.

Contra ele foram apresentadas acusações de tentativa de dar apoio material a um grupo designado pelos Estados Unidos como "terrorista".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade